Nicko McBrain: Cristão, baterista fala sobre sua fé



Em 2006, Geoff Martin, do site Canada.com entrevistou Nicko McBrain, baterista do Iron Maiden, e entre outros assuntos perguntou ao baterista sobre sua conversão ao Cristianismo. Nicko revelou que se converteu em 1999 e falou sobre a relação de sua crença religiosa e o seu trabalho no Iron Maiden. Confira alguns trechos:

"A pergunta mais comum que as pessoas sempre me fazem é: como você pode tocar The Number of the Beast? Bem, espera aí, é apenas uma história. Se você olhar no livro das Revelações, vai estar tudo lá, toda essa raiva, todo esse negócio. E essa, foi uma música escrita a partir de um pesadelo que Steve teve."

LEIA TAMBÉM: CHURCH TIMES: IGREJA DEVE APRENDER COM O HEAVY METAL

"A minha opinião é que um dos maiores truques do Diabo é fazer você acreditar que ele não existe. Eu posso dar um tapinha no ombro das pessoas e falar, ‘Eu não estou glorificando-o, se eu estivesse eu não seria Cristão. Pois eu entendo, e a maioria dos Cristãos entendem, que o pecado é o domínio do Diabo e o último pecado é a morte, mas nós temos um caminho a ser seguido, e é aí que a fé e o cristianismo entram em cena. Algumas vezes eu já tive a oportunidade de conversar com as pessoas sobre a minha fé e sobre o que eu sinto, e talvez esta seja a maneira com a qual o bom Deus esteja trabalhando comigo.”

“Por ainda ser possível estar em uma banda tão grande, onde pessoas pensam que somos demoníacos ou satânicos, a maioria das pessoas que nos conhecem e possuem um mínimo senso e inteligência, sabem que isso não é verdade. Não é necessário ser um Einsten para escutar os nossos álbuns e as letras das músicas para entender o que está acontecendo.”

“Ok, então Eddie é o mascote da banda, certo? E ele é... meio que... bem, ele é um demônio, você sabe. Ele é o que você quer que ele seja, entende? Digo, escute isso, olhe para o número da besta, aqui está ele, o mascote do demônio! Mas você sabe, nós não estamos glorificando Eddie como um demônio. Ele é apenas um personagem de desenho.

“Mas as pessoas podem olhar e falar, ‘espere um minuto Nicko, como você pode dizer que é Cristão e estar tocando numa banda que tem esse tipo de coisa acontecendo? Quando você se torna Cristão, você não se torna livre dos pecados, a ideia é pecar o menos possível. Somos todos pecadores, nunca estaremos livres até o dia que o bom Deus estará na nossa frente para nos julgar. Eu tento viver a minha vida, eu realmente caio em tentação às vezes e o ocasionalmente eu caio muito profundamente e tenho que me ajoelhar e implorar por perdão. Não é uma coisa fácil, não é para ser mesmo.”

Nicko também fala sobre uma suposta tentativa de converter os seus amigos de banda para a sua fé: “Nós já tivemos algumas incríveis conversas bem profundas entre nós. Não posso dizer a você que estou tentando converter todos esses caras da minha banda para serem cristãos. Eu os estou levando pelo meu caminho e se eles escolherem seguir os planos de Deus como está na Bíblia, isso é por conta deles. Eu digo para todos eles, entende, na minha crença, no momento, se você se vira para o salvador Jesus Cristo, você terá uma vida eterna no céu com ele. Nós não falamos sobre isso todas as vezes que estamos juntos, mas já tivemos algumas incríveis conversas durante esses anos.”

“Eu realmente rezo para o Senhor por ainda ser possível estar nessa banda, e as bençãos que nós todos temos por poder fazer esse tipo de música e ainda estar por aí virando a cabeça de garotos que falam, ‘Cara, eles ainda podem tocar! Eles podem ser uns velhotes, mas escute isso!”.

Fonte: Canada.com // Tradução: Whiplash.Net
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »