Paul Di'Anno: recontando a história de sua saída do Iron Maiden


A saída do vocalista Paul Di'Anno do Iron Maiden ainda não parece ter uma versão definitiva. Cada parte envolvida reconta a situação a partir de seu próprio olhar.

Di'Anno voltou a falar sobre o assunto em entrevista ao Eon Music. O cantor deixou de integrar o Maiden em 1981 em meio a problemas que iam desde o vício em drogas até conflitos pessoais com o baixista e líder, Steve Harris.

"Gostei muito do segundo álbum ('Killers'), mas não me impactou tanto quanto o primeiro. Não pude dar 100% de mim, o que não era justo com a banda, os fãs ou comigo. E, sim, eu estava tentando achar outras formas de fazer aquilo ser empolgante na estrada e, sim, tive problemas com cocaína", afirmou.

O cantor destacou que sua situação com drogas "não foi tão ruim como muitas pessoas dizem". "Mas no fim das contas, quando se tem uma máquina como o Iron Maiden, se uma parte da engrenagem dá errado, tudo acaba caindo por terra. E eu não estava preparado para o Maiden passar por aquilo, nem estava preparando para eu mesmo passar por aquilo. Citei que não estava feliz, conversamos e foi isso. Rompemos de forma amigável", disse.

Paul Di'Anno destacou que chegou a ir ao primeiro show do Iron Maiden com Bruce Dickinson no vocal. "Levei a minha mãe comigo. Tivemos que ir embora antes da hora, porque as pessoas ficavam gritando por mim. Então, fomos embora", afirmou.



Fonte: Whiplash.Net
Tecnologia do Blogger.