Bruce Dickinson: "sortudo" por não sofrer os piores efeitos do câncer


O vocalista do Iron Maiden, Bruce Dickinson, disse em entrevista a Andrew Haug (transcrita por Blabbermouth) que tem "sorte" por não ter sofrido os piores efeitos do câncer. Ele foi diagnosticado com um tumor na língua logo antes do Natal de 2014. Após tratamento, ele se curou por completo em maio de 2015.

Inicialmente, Dickinson confirmou que sua luta contra o câncer o inspirou a trabalhar na maior quantidade possível de projetos - como a sua recente autobiografia, "Bruce Dickinson: Uma Autobiografia" ("What Does This Button Do?", no título original). "Sim, talvez de forma inconsciente. Até antes do diagnóstico, eu tinha vários projetos. Quando fui diagnosticado, metade de mim pensava: 'suponho que você vá morrer, mas as chances são de que você não vai morrer, mas que saco é esse câncer'", afirmou.

Ao refletir sobre tudo o que estava acontecendo, Bruce Dickinson disse que não queria desistir de seus projetos e decidiu trabalhar intensamente durante alguns meses. "O tratamento é muito agressivo. Então, talvez você chegue em forma razoável ao fim do tratamento, não se sabe. Sei de caras que tiveram o mesmo câncer que eu e foram curados com o mesmo tratamento, mas seus corpos responderam de forma diferente. Há alguns efeitos colaterais muito ruins, dos quais tenho muita sorte de não ter sofrido", pontuou.

Ainda que esteja curado, Bruce Dickinson precisa voltar ao médico a cada seis meses para exames de rotina. "Minha mandíbula é examinada por várias razões ligadas a radiação, porque quando você passa por todo esse tratamento, o osso responde a isso de forma permanente. Os tecidos se regeneram, mas o osso não responde tão bem", afirmou.

Confira a entrevista na íntegra (em inglês, sem legendas).



Fonte: Whiplash.Net
Tecnologia do Blogger.