Câncer na língua: entenda a doença de Bruce Dickinson



Bruce Dickinson foi diagnosticado com câncer na língua e está em tratamento contra a doença. Pesquisamos um pouco mais sobre este tipo de câncer para entendermos o real estado de saúde do vocalista do Iron Maiden e as possibilidades do tratamento.

BRUCE DICKINSON É DIAGNOSTICADO COM CÂNCER

Este não é o mais frequente dos tipos de câncer, os tumores que ocorrem na cabeça e pescoço correspondem a cerca de 10% dos casos que acometem o ser humano; desses 40% situam-se na cavidade oral, mais comumente na língua e soalho da boca. O câncer na língua costuma manifestar-se em fumantes e em pessoas que bebem bastante, o que faz que com o passar dos anos a sua presença dentro das estatísticas vá aumentando. É mais comum nos homens do que em mulheres e esta doença conta com um bom prognóstico de recuperação se for detectada a tempo.

SINTOMAS

Na língua, a lesão pode apresentar-se como uma afta ou lesão ulcerada, ambas dolorosas e de fácil percepção. Quem sofre de frequentes úlceras bucais produzidas pela má higiene ou por problemas nos dentes (perdas de dentes, próteses em mau estado) também corre maior risco de sofrer de câncer na língua, pois estas úlceras podem converter-se com o passar do tempo em lesões cancerosas.

Outro dos primeiros sintomas do câncer da língua é o aparecimento de uma pequena ou mediana mancha vermelha ou branca em qualquer zona da língua. Naqueles pontos em que é possível ver a mancha, é possível que a mesma se possa sentir ao tocar com a língua noutras partes da boca como o paladar ou as bochechas.

A dor e os desconfortos na língua ou na garganta enquanto se fazem atividades cotidianas como mastigar, é outro dos possíveis indicadores de câncer da língua. Devido a presença de úlceras e lesões, é normal que outro dos primeiros sintomas seja o mau hálito originado por este tipo de feridas. O odor costuma ser intenso e o paciente costuma perceber um sabor particular na sua boca, similar ao que se sente quando temos por exemplo uma amigdalite.

Qualquer lesão na língua que se converta numa úlcera e que após duas semanas não sare, deve ser vista por um médico para descartar a presença de qualquer anomalia. Este ponto é especialmente importante quando o paciente se encontra em grupos de risco.

TRATAMENTO

Se diagnosticado no início e tratado da maneira adequada, a maioria (80%) dos casos desse tipo de câncer tem cura. Geralmente, o tratamento emprega cirurgia e/ou radioterapia. Os dois métodos podem ser usados de forma isolada ou associada. As duas técnicas têm bons resultados nas lesões iniciais e a indicação vai depender da localização do tumor e das alterações funcionais que possam ser provocadas pelo tratamento. As lesões iniciais são aquelas restritas ao local de origem.
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »