Loopy’s World (Parte 1) - A bela arte de estar no lugar certo e na hora certa



Quem sou eu? Ok, por onde começo? 
Pelo começo, eu suponho, então deixem me apresentar. 

Nascido Steve Newhouse em 1º de maio de 1957, em Londres, no bairro de Hackney, eu tive o apelido de Loopy dado uns vinte anos mais tarde pelo mesmo cara que apresentou Paul Di'Anno a Steve Harris, em um pub em Leytonstone. Nós vamos chegar nesse cara em um instante.
O resto, como eles dizem, é história (a estória dele???) ou pelo menos é a estória de alguém.
Mas não é a minha estória, que é algo como isto...

PARTE 1 - A BELA ARTE DE ESTAR NO LUGAR CERTO E NA HORA CERTA
Por: Steve Loopy Newhouse // Tradução: Ricardo Lira

Eu tinha conhecido Paul Di'Anno há muitos anos, e mesmo agora posso lembrar de seu sobrenome real - Taylor. Nós tínhamos sido amigaços por tanto tempo que jamais nos desgrudávamos; conhecíamos um ao outro praticamente de dentro pra fora.

Tats, como eu afetuosamente o chamava, e eu, passávamos cada domingo à tarde tomando o ônibus 66 da estação de Leytonstone até Marks Gate, perto de Romford, para passarmos algumas horas ensaiando com uma banda em um remanescente de um bunker concretado, no meio de uma horta de batatas. Sem brincadeira.

O lugar se chamava Bonzers Farm, apenas fora de Whalebone Lane. O baterista vivia na fazenda e tinha que rolar uma extensão de tomada, da sua janela do quarto, todo o caminho até o bunker, uns 180 metros para que tivéssemos energia o suficiente para ensaiarmos.

A banda se chamava Rock Candy e a maior parte do material era próprio, com alguns covers encaixados para completar um set de 40 minutos. Rock Candy era composta de Tats nos vocais, Nigel Foster na guitarra, Martin Waites no baixo and vocais, e Rob Cunningham na bateria.

Originalmente um trio, disseram a Martin que seus vocais não eram fortes o suficiente, então decidiram procurar por um cantor até encontrarem Paul. Até hoje eu não sei como aquilo aconteceu. Eu viria a ser seu melhor amigo.





Os ensaios prosseguiram por muitos meses, comigo e Paul indo pra lá e pra cá entre Leytonstone e Romford, quando finalmente soubemos que a banda tinha sido agendada para fazer um show no Three Rabbits, em Manor Park, em uma noite de domingo.

Rock Candy tocou seu bem ensaiado set e estavam indo bem até Nigel arrebentar uma corda. Durante o atraso, um cara de muletas subiu no palco e perguntou a Paul se a banda poderia tocar Seasons in the Sun de Bobby Goldsboro. A resposta instantânea de Paul foi: "Foda-se, aleijado." Não muito polido, tenho que admitir, mas foi assim então e isto é agora.

A banda terminou o show com um encore de Pretty Vacant, um clássico dos Sex Pistols, e de modo geral foi muito bem tocada. Até o cara de muletas estava pedindo por mais.

Aconteceu que este foi o único concerto que a Rock Candy deu até hoje. Poucas semanas mais tarde nós retornamos ao bunker para descobrir que as portas estavam sem suas dobradiças e todo equipamento da banda sumiu.

Aquilo prenunciou o fim da Rock Candy. Eles tentaram continuar, pegando equipamento emprestado para ensaiar, chegando até a ter um gerente, quem também tentou conseguir novo equipamento pra banda, novos shows, etc. Mas eu acho que todo mundo sabia que o fim estava se aproximando.

Foi por volta dessa época que um amigo da banda, Trevor Searle (ele que me chamou de Loopy), ouviu um rumor de que o Iron Maiden estava procurando um novo cantor e ele casualmente mencionou isso pra Paul. Nós dois sabíamos que o Maiden causava um bom furor no circuito de pubs locais, mas nenhum de nós sabia o que poderíamos fazer em relação a abordá-los.

Então, por pura casualidade, Paul e eu fomos ver uma banda no pub Red Lion, em Leytonstone. Nos encontramos com Trevor que disse que o baixista do Iron Maiden tinha aparecido por lá e ia bater um papo com ele. Trev saiu por alguns minutos apenas, quando voltou e puxou Paul para se encontrar com Steve Harris.

Então estou eu lá, mofando como uma ameixa solitária em uma cesta de frutas vazia, por dez minutos, quando Paul voltou caminhando de costas, com um baita sorriso em sua face e disse: "Eu tenho um teste a fazer esta semana!"



Continua...
- Loopy's World (Parte 2) - O nascimento da besta
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »