Dave Murray: "não precisamos ser a maior banda, precisamos ser felizes"



O guitarrista Dave Murray conversou com Luis Carrilo do jornal mexicano Reforma e falou sobre a Maiden England Tour, expectativa para o retorno ao México e a relação com os fãs.

Por: Luis Carrilo / Reforma

Apesar dos muitos elogios que recebem desde 1975 até hoje, e de ser considerada uma das mais importantes bandas de Heavy Metal de todos os tempos, a filosofia dos membros do Iron Maiden é muito mais simples do que isso.

"Nós não precisamos ser a maior banda da história do metal, precisamos ser felizes. Não nos julgamos nem nos definimos de outra maneira. Determinamos o sucesso como felicidade, porque muita gente pode ser a pessoa mais popular e de repente algo acontece e você perde tudo. Estamos extremamente felizes", disse o guitarrista Dave Murray.

"Enquanto tivermos saúde, vamos seguir em frente. Atualmente, somos saudáveis ​​e, neste momento, tudo se baseia nisso (risos)."

Junto com Steve Harris, líder e baixista do Iron Maiden, Dave é o único membro que esteve presente em todos os álbuns da banda, que se apresenta na terça-feira 17 de setembro no Foro Sol, na Cidade do México, com o show da Maiden England Tour 2013.

"Nós estivemos no México, em 2011, com a Final Frontier Tour, e nós amamos tocar lá. Decidimos voltar com essa turnê pela resposta que sempre recebemos dos fãs, agora temos um setlist diferente e uma grande produção, não vamos repetir o show da última turnê, vai ser algo especial", revela o músico.

Para Murray ainda é surpreendente que, mesmo sem um novo álbum de estúdio, a banda seja capaz de sair em turnê e lotar estádios. "Definitivamente ainda nos surpreende. Recentemente tocamos em um novo estádio de futebol na Suécia e havia 55 mil fãs. É incrível como o rock pode reunir o mesmo número de pessoas que uma partida de futebol. Ambas as experiências são desfrutadas de uma forma muito particular e com uma euforia sem igual.

Mesmo longe das longas turnês mundiais, já são 85 milhões de discos vendidos na carreira de 38 anos da banda, e esse é outro dado que ainda assusta Murray. "É um número surreal, é algo incrível e fantástico quando realmente se para pra pensar sobre isso. Somos uma banda privilegiada por ter o tipo de fãs que nós temos e ainda nos surpreende que, quando viajamos para muitos países, a relação entre o público e o Iron Maiden é total", conclui.

Fonte: Reforma.com
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »