Janick Gers: "Não gostaria de pensar que é o fim"


Phil Freeman, da Headbang, seção metal do MSN, recentemente conduziu uma entrevista com Janick Gers, guitarrista do Iron Maiden. Confira alguns trechos abaixo.

Headbang: A banda tem feito estas turnês temáticas - tocando os primeiros quatro álbuns, então os quatro seguintes, e agora os quatro mais recentes. Agora que atingiu todos, qual é o próximo passo.


Janick Gers: Bem, o próximo passo é, nós temos um novo álbum lançado. Então no minuto que sairmos em turnê, ela será baseada no novo álbum. Não será o álbum inteiro como fizemos no "A Matter of Life and Death", porque aquilo foi apenas um ponto no tempo onde sentimos que precisávamos fazer aquilo. Eu acho que fazer aquilo foi uma grande escolha, porque saímos e meio que colocamos nossos pés no chão e dissemos, é aqui que estamos agora. E nós tocamos um set cujos shows esgotaram praticamente em todo lugar do mundo. Aquele álbum ganhou disco de ouro em cerca de quinze países diferentes, o que para uma banda como nós, nós somos uma banda underground, não tocamos em rádio, não aparecemos na TV, não temos muita mídia, temos um pouco de mídia, então meio que contamos com nosso show ao vivo. Saímos e tocamos bons shows; somos uma boa banda ao vivo. Então saímos e tocamos nosso álbum na íntegra, e claro, vários garotos queriam ouvir "The Trooper", queriam ouvir isso, queriam ouvir aquilo, bem, quer saber? Você não pode, terá que vir na próxima vez. O que estamos tocando agora é "A Matter of Life and Death", e esse é o jeito que tem que ser. De outra forma você se torna uma dessas bandas de cabaret que todo ano tocam seu álbum preferido. E não é isso que somos.

Headbang: Algumas pessoas ficaram preocupadas que este fosse o fim da banda, com o título "The Final Frontier", e as letras desta música, com Bruce cantando sobre como ele realizou tudo que queria fazer... do que se trata? Este não é o fim ou algo do tipo, é?

Janick Gers: Bem, eu não sei. Espero que não. Estou gostando disso, eu acho que todos estão gostando, e não gostaria de pensar que este é o fim, mas você nunca sabe. Você apenas nunca sabe quando o seu último show vai acontecer. É como um boxeador peso pesado, ele está no ápice da sua forma e sai e é nocauteado. Você acredita que pode continuar para sempre. Eu acredito que somos realmente uma banda muito boa, e enquanto isso for divertido, e enquanto for válido, eu quero sair e tocar. Mas não quero terminar fazendo um set de cabaret com várias outras bandas junto tocando seus álbum de grandes hits o tempo todo. É uma parte disso, ter a fome de fazer o que fazemos, e acho que todos na banda tem. E enquanto estivermos afiados, e trazendo grandes músicas, tentando ir em caminhos diferentes e nós mesmos indo mais adiante musicalmente, então acho que continuaremos.

Confira a entrevista completa (em inglês)
http://music.msn.com/superfans/heavy-metal/blog

Fonte: Whiplash!
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »