Iron Maiden na capa da Roadie Crew #139

Por Chris Alo

"A Roadie Crew ter sido convidada pela EMI para passar alguns dias literalmente imersa na música do Iron Maiden foi uma grande honra. A gravadora me levou de Nova York para o calor de Dallas, no Texas (EUA) para ouvir o novo disco dez semanas antes do lançamento, entrevistar a banda e finalizar assistindo à estreia da turnê 2010 do sexteto, ocorrida no último dia 9 de junho.

Acho que é normal para qualquer um de nós ficar um pouco nervoso quando está prestes a se encontrar com um músico famoso. Mas quando entrei no salão do hotel para entrevistar Steve Harris logo após a audição do The Final Frontier, o baixista parecia mais nervoso do que eu, andando de um lado para outro na sala vazia. Eu fui uma das primeiras pessoas a escutar na íntegra os 78 minutos do novo disco pelo menos dois meses antes do seu lançamento.

Depois dos cumprimentos de praxe, ele aproveitou para admirar meu antigo gravador cassete. De minha parte, dei uma conferida nas suas tatuagens, que já precisam de um retoque. Logo a tensão que havia no lugar desapareceu e Steve se mostrou sinceramente interessado em saber minha opinião sobre o novo álbum, não escondendo o alívio quando eu disse que tinha gostado do que havia ouvido, em especial da faixa título."

Como o Iron Maiden Chegou ao Brasil?

Outra matéria de interesse dos fãs do Maiden na Edição 139 da Roadie Crew, é a que traz em seu título: "Como o Iron Maiden Chegou ao Brasil?" onde Ricardo Batalha conversa com Paulinho Heavy, ex-vocalista do Inox e ex-funcionário da EMI, sobre os prímórdios da Donzela de Ferro no país.

"As velhas gerações de fãs de Rock e Heavy Metal se acostumaram a aguardar anos por um lançamento no mercado fonográfico brasileiro. Um disco que saía por aqui era motivo de festa. Imagine, então, o que ocorria quando o álbum era lançado por uma banda novata e desconhecida do grande público.

Quando o trabalho de estreia do Iron Maiden chegou ao Brasil, com grande atraso, a banda já havia formado um sólido alicerce e não era mais apenas uma grata revelação da New Wave Of British Heavy Metal. No ano em que saiu segundo álbum, Killers (1981), um funcionário da sucursal paulista da gravadora EMI-Odeon do Brasil ficou curioso com um anúncio publicado na revista Cash Box. "Folheando-a Cash Box vi a cara do Eddie estampada na capa do primeiro LP, em um rodapé de página. Gostei demais da capa e, mais ainda, quando li ao lado dela as palavras EMI-America", lembra Paulinho Heavy, ex-vocalista do Inox e ex-apresentador do extinto programa Som Pop da TV Cultura..."

Saiba mais:
http://www.roadiecrew.net
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »