Prowler: Cover do Iron Maiden completa 10 anos!

Devoção e fazer o que gosta são duas coisas que marcam a banda teresinense PROWLER, principalmente o vocalista Kiko Dickinson, figura carimbada da cena metal do Piauí. Confira a entrevista que Kiko concedeu ao site Therezina in Concert contando um pouco dos dez anos de sua banda cover do Iron Maiden.

Therezina in Concert: Um fato bastante marcante no Prowler é que a banda é bastante focada nos detalhes, usando as mesmas roupas da banda a qual prestam homenagem e com a musicalidade que dispensa comentários. Para algumas pessoas que ainda não tiveram a oportunidade de ver a banda ao vivo, o quanto você acredita que o Prowler consegue passar da sensação de ver a verdadeira banda tocando?

Kiko: Bom, o que acredito e que confio plenamente é no esforço da banda. Nosso batera ( Andrezin Mcbrain ) mora em Floriano, só vem um dia antes do show e nesse tempo todo eu que ensaio no lugar dele na bateria. Sempre ensaiamos no máximo 2 vezes antes de um show. Na maioria das vezes nos saimos bem. E sempre procuramos passar o máximo que conseguimos fazer, na musicalidade, no teatro, e isso em determinados momentos do show o publico consegue identificar lembrando um pouco do maiden original.

Therezina in Concert: Dentre a questão levantada do teatro, qual foi o ápice da banda em questão da cenografia de palco?

Kiko: 2009, com certeza. Infelizmente a maioria dos shows que fizemos ano passado foi fora do Estado e pudemos levar isso aonde nos chamaram: São Luís, Balsas, Pedreiras e Imperatriz. Nosso pano de fundo foi o pioneiro aqui, feito em impressão digital em tecido, com medida e procuramos estudar os movimentos e também as roupas caracteristicas de cada integrante. Mas para 2010 estamos com tudo montado: novos panos de fundo e novo figurino.

Therezina in Concert: Dentre estas novidades será que rola um mascote do eddie(risos)?

KIko: (risos) ...quem for ao show vai conferir o que planejamos pra esse show.

Therezina in Concert: Vamos deixar na expectativa então.Bom o mencionado show vem para comemorar os dez anos da banda.Nestes dez anos, quais foram os melhores momentos da banda? e os piores?

Kiko: Em relação aos shows (quantidade) foi em 2000 e 2003. Foi a febre.. foram quase 100 shows nesses 3 anos. Todo fim de semana eram 2 e as vezes 3, aqui em Teresina e em outras cidades.

Em relação a qualidade foram nos anos de 2004 e 2005 e 2009, essa última em termos de entrosamento foi a melhor. Os anos de 2001 apesar da enorme quantidade de shows e 2008 foram os piores, com certeza! Abrimos shows do Angra, Shaman, participamos do Tribus Rock em 3 edições... fora os shows memoráveis no Atlantic City e tocamos em lugares sem palco, com som de seresta (risos), enfim, fizemos de tudo, mas valeu a pena.

Therezina in Concert: Com tudo isso , você acredita que como banda cover, o Prowler tem seu espaço merecido?

Kiko: acredito que sim, até mesmo porque o propósito da banda é divertir as pessoas que vão aos shows para curtir um bom show, bem executado, que faça bem aos ouvidos. Muita gente critica as bandas covers com o argumento de que "gozar com o pau dos outros é mais fácil", claro que as bandas autorais merecem respeito. Tem ótimas bandas aqui em Teresina. Exemplo: Empty Grace, Retalhador, Dark Season. Só que nós das bandas covers tambem suamos e gastamos muito, para dar um bom espetáculo pra quem paga ingresso. Encaro qualquer palco em qualquer lugar do mundo sem medo de fazer feio, porque nós da banda nos esforçamos ao limite pra sair do jeito que se deve ser escutado e visto. Tudo isso em respeito a quem vai aos shows. 10 anos de banda, principalmente sendo cover, é porque tem seus méritos.

Therezina in Concert: Mudando de assunto, É fato de que devido à banda não ser oficializada, algumas oportunidades se fecharam. E com certeza, isso deve aborrecer muito a banda. Vocês já pensaram em oficializar a banda? Ou acreditam ser um investimento desnecessário, por que de uma forma ou outra não há um retorno merecido?

Kiko: O Prowler sempre foi uma diversão pra gente. Sinceramente, não vejo necessidade de oficializar. Quem assistiu ao Filme "O Imbatível", estrelado pelo Wesley Snipes sabe do que estou falando.

Therezina in Concert: Algumas grandes bandas da cena, não só brasileira, mas internacionais começaram como covers e posteriormente foram criando suas próprias músicas fortemente influenciadas pelas bandas a quais homenageavam. Um grande exemplo disso é a banda Lethal Fear, que conseguiu gravar um cd muito bom e cuja sonoridade é bastante referenciada ao Iron.Vocês já pensaram em gravar algum material com este direcionamento?
Kiko: Em 2002 fui convidado a ser o vocalista de uma banda muito promissora na época. Mas a falta de profissionalismo e caráter de alguns integrantes me desestimulou. Mas esse ano surgiu um convite e estou aguardando o material e breve estará o material disponível. Quanto aos outros integrantes nao posso responder por eles. Todos tem seu projeto paralelo mas posso adiantar que vem coisa boa por ai. Soar como Iron? Pouco provável. Mas se soar, que se dane o Iron. (risos)

Therezina in Concert: Pra finalizar fica aberto o espaço pra você.Fique a vontade para falar ou agradecer a quem quiser.


Kiko: Bom ...gostaria de agradecer primeiramente a todos que sempre nos acompanharam por todos esses anos, em especial ao Emanoel Heavy Metal, David Mazuad, Mike, Kasbafy, Fábio Pitombeira, Amaro, Bia lemos, Ingrid Lokinha, Papudo, Danilo, Nanno, Clóvis, Vitor Resende, Kennedy, Igor Soares e ao pessoal do Megahertz, Stygma, Into Morphin, Dark Season, e a meus companheiros de banda: Alysson, Andrézin, Luciano " The King Harris ", Valdene e ao mais novo integrante da banda, André Resende. Obrigado a vocês também pelo apoio e espero que o Bueiro do Rock lote no próximo dia 24!



Fonte: Therezina in Concert
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »