Flight 666: diretor conta sobre dificuldades do filme

Mike Devlin da Canwest News Service recentemente conduziu uma entrevista com os diretores Scot McFadyen e Sam Dunn, da Banger Films Inc., criadores de "Iron Maiden: Flight 666", o documentário que segue os membros da banda IRON MAIDEN na primeira parte de sua turnê "Somewhere Back In Time World Tour", de fevereiro a março de 2008.

"O filme foi muito mais difícil do que esperávamos," diz Dunn, 35. "Eu acho que entramos nisso assumindo que porque estávamos focados em uma banda específica e não em todo o gênero musical, que seria mais fácil. Não foi - não mesmo. Em termos de unir a história e estabelecer ritmo, foi um desafio totalmente diferente para nós."

Os cineastas filmaram 500 horas de performances ao vivo e cenas de backstage, que a equipe deixou de lado como se fosse nada. "Eles disseram que não erámos duros o bastante" McFadyen, 40, lembra-se com uma risada.

"Estar em uma turnê como essa, a ansiedade que você sente é que talvez você perca um momento de ouro," McFadyen adicionou. "Realmente foi necessária toda a ajuda que pudéssemos ter, cada show com cinco cameras, e entre os shows, estivéssemos no avião ou em uma escolta policial voltando ao hotel, poderíamos ter até quatro câmeras filmando ao mesmo tempo."

O filme foi financiado pela banda, mesmo assim Dunn e McFadyen ainda acham que eles capturaram um lado de suas vidas nunca antes visto em filme.

"É uma jornada muito visceral com o IRON MAIDEN nessa massiva turnê global," disse Dunn. "Nós quisemos fazer um filme de que os fãs do MAIDEN pudessem sentir orgulho e que proporcionasse uma visão do que é a banda como eles nunca tiveram antes."
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »