Rock in Rio: festival deve ser adiado no Brasil e Portugal por causa da Covid-19

O Rock in Rio deve confirmar em breve o adiamento de suas edições no Brasil e em Portugal. Segundo o site POPline, os organizadores do festival entenderam que o melhor caminho não é continuar anunciando atrações como se nada estivesse acontecendo. O anúncio do adiamento da próxima edição deve ser feito nos próximos dias – tanto para a edição portuguesa quanto para a edição brasileira.

O festival brasileiro oficializou as datas da próxima edição brasileira para 24, 25, 26 e 30 de setembro e 1, 2 e 3 de outubro de 2021 e estava confiante na iminência da vacinação em massa da população brasileira contra a Covid-19 – o que se revelou mais difícil. O cronograma do governo federal prevê que a totalidade do povo brasileiro só estará vacinada contra o coronavírus em meados de 2022.

Mesmo que a vacinação tenha efetivamente começado, o número de doses ainda é ínfimo e o país enfrenta também problemas diplomáticos na compra de insumos e matéria-prima para a fabricação interna das vacinas. Com poucas doses de vacinas, os estados estão tendo que restringir o público-alvo da fase 1, que já era restrito.

Em meio a essas notícias, pensar em um festival de grande porte como o Rock in Rio é impraticável. O evento recebe cerca de 100 mil pessoas por dia. Para a próxima edição, já estava com shows confirmados de Iron Maiden, Dream Theater, Megadeth, Sepultura e Orquestra Sinfônica Brasileira. Para a edição portuguesa, Ivete Sangalo e Anitta também já estavam confirmadas.

Nesta quinta (21/1), o Prefeito do Rio Eduardo Paes anunciou o cancelamento do Carnaval, até então adiado para julho. “Parece-me sem qualquer sentido imaginar a essa altura que teremos condições de realizar Carnaval em julho. Essa celebração exige uma grande preparação por parte dos órgãos públicos e das agremiações e instituições ligadas ao samba. Algo impossível de se fazer nesse momento”, declarou o político. Acabou sendo mais um indício de que a cidade também não poderá receber o Rock in Rio….


Ainda segundo o site POPline, o festival está buscando alternativas e os organizadores não querem anunciar o cancelamento do festival na última hora, porque isso causaria mais transtornos. O público costuma viajar de todo o Brasil para assistir aos shows, e já estaria com passagens e hospedagens pagas. Por isso a produção está buscando a melhor solução no momento.

A produtora Live Nation, que responde por mais de 50% da sociedade do Rock in Rio, recentemente anunciou a compra da plataforma de transmissão ao vivo, com ingressos pagos, Veeps. A empresa foi criada em 2017 por Joel e Benji Madden, do Good Charlotte, facilitando o envolvimento entre fãs e ídolos, com conteúdo monetizado. É uma alternativa para o festival: uma edição virtual. 

O jornalista José Norberto Flesch também falou sobre o adiamento do festival em vídeo publicado em seu canal no YouTube e adiantou que o Rock in Rio pode acontecer ainda em 2021, nos meses de novembro e dezembro, com as mesmas atrações confirmadas.



Tecnologia do Blogger.