Adrian Smith: guitarrista do Iron Maiden fala sobre depressão e drogas


O guitarrista Adrian Smith revelou à Metal Hammer que teve de lidar com a depressão e as drogas no auge do sucesso do Iron Maiden na década de 1980.  

"Eu realmente não quero parecer um ‘coitadinho’, mas a depressão foi uma marca dos anos 80 pra mim. O último show que eu fiz antes de entrar no Iron Maiden aconteceu em um pub de Londres; eu me lembro de entrar no ônibus com meu pedal de ‘wah-wah’ em uma sacola de supermercado, depois disto quando voltei a subir no palco foi em um show gigantesco com o Iron Maiden. Foi um grande salto! Eu consegui passar tranquilo pela primeira turnê, mas daí tudo começou a me afetar — as pessoas pagavam uma fortuna para nos ver e há muitos músicos fantásticos por aí, o que significa que o mercado é muito competitivo. Isto mexeu comigo algumas vezes, e quando chegamos nos Estados Unidos as coisas explodiram no lance da bebida e drogas, que eram usadas como uma espécie de muleta. Mas você precisa lidar com essas coisas e hoje eu não tenho mais que lutar com isto. É tudo parte do processo de crescimento."

Adrian também falou sobre como a pesca lhe ajudou a manter a cabeça no lugar e longe do estresse da vida na banda: "É bom para a sua mente. Como disse Billy Connolly, 'a pesca é meditação com uma pitada de humor'. O casulo 'avião-van-hotel' é um pouco exagerado às vezes, então é ótimo simplesmente ir para o campo e liberar sua mente, conquistar esse espaço."



Tecnologia do Blogger.