Bruce Dickinson: novo álbum do Iron Maiden, quarentena e futuro da humanidade


Bruce Dickinson está atualmente em isolamento em seu apartamento em Paris, onde mora com a namorada Leana Dolci. O músico participou recentemente de uma live com alguns jornalistas e Alin Dinca do site Rock FM da Romênia selecionou as principais respostas do vocalista. Confira!

"Olá! Aqui estou eu, com o meu pequeno Eddie, trancado em casa, surpreendentemente bem em Paris. Vamos começar a discussão, porque sei que há muitas perguntas e só tenho 5 minutos (risos)", comentou Bruce.

Como está sua vida neste momento? O que você está fazendo?

No geral, eu estou feliz. Caso contrário, eu não estaria aqui hoje. Estabeleci um treino de esgrima na varanda, me organizei muito bem. Transformamos o pequeno apartamento em um circuito esportivo intensivo de 45 minutos. Também saio para correr, fazer compras, assisto vídeos de exercícios na internet e treino. Tenho que admitir que alguns vídeos me distraem muito (risos). Você tem que encontrar coisas para fazer com prazer. Se você não é bom em alguma coisa, trabalhe mais, no meu caso, redescobri a culinária e preparei algumas refeições sensacionais. Proibi minha namorada de entrar na cozinha (risos). É o meu território! Eu cozinho tudo, menos salsichas. Também tenho medo de mudanças (risos). Eu tenho todos os tipos de ideias, invento coisas, preparo receitas com legumes e peixe. Muitas vezes fiz pratos maravilhosos, em outros casos, foi uma bagunça. Mas é assim que é na vida (risos).

Houve momentos em sua vida em que pensou que não seria capaz de completar algo?

Acontece na vida, todos temos dificuldades. Às vezes, as pessoas têm ideias estúpidas desde o princípio. Mas a educação e o desejo de aprender podem fazer você entender o que é importante e o que não é. Às vezes, a autoconfiança e a experiência podem ajudar. Por exemplo, como quando você quer se tornar médico, na história moderna (risos). Para mim, as experiências pelas quais passei para obter um título importam muito mais do que o próprio título. Você nunca pode quantificar o quão boas são as qualidades de uma pessoa, nós temos a capacidade de memorizar coisas, mas sua qualidade humana é que determinará a maneira como usa o conhecimento acumulado.

Três dicas para uma banda iniciante, do ponto de vista de um líder.

Eu não sou o líder do Iron Maiden. Bandas possuem uma sistemática muito interessante, você não encontrará democracia lá. Uma equipe não trabalha através da democracia, é muito difícil para 5, 6, 7, 10 pessoas alcançarem um denominador comum. Bem, primeiro você tem que escolher um líder. Aprenda a ser um ajudante eficaz, em vez de ser um mau líder. Estes andam de mãos dadas, você sempre deve observar atentamente as boas ideias que aparecem em sua equipe. Não tente impor suas ideias se estas forem piores. É uma questão de inteligência, você precisa reconhecer quando alguém tem uma ideia melhor e ajudar a apoiá-la. Este é o segundo conselho. E o terceiro, se você tem uma ideia muito, muito boa, se realmente acredita nela, não desista. Apresente a ideia de todos os pontos de vista, os outros ficarão sem argumentos se sua visão for melhor.

Que conselho você daria para quem tem medo do palco?

Felizmente, não enfrentei uma coisa dessas. Você tem que tornar isso um hábito, derrubar tabus. Isso vai te ajudar um pouco. Eu sempre sigo para o desconhecido, sempre é diferente, mas tenho alguns pontos de apoio. Depois de um tempo sem estar em turnê, estou sempre pensando em como será o próximo show. Se eu abrir a boca e a nota correta não sair? Mas, você tem que confiar em si mesmo.

Quais são as soluções para nos proteger do coronavírus?

Acho que vou perguntar ao Donald Trump. Ele parece ser o especialista (Risos).

Como começou sua história como empresário? Onde você aprendeu o caminho para o sucesso?

Uma coisa só te derrota se você permitir, você sempre tem que procurar alternativas. Não vou entrar em detalhes de horror, mas tive um período muito sombrio. Eu estava sentado com as mãos na cabeça e pensando como iria sobreviver. O que eu vou comer? E mais tarde na vida, houve momentos em que pensei em encerrar alguns negócios ou tentar avançar com eles. Normalmente, conversando com alguém de fora, pessoas que são boas nos negócios, pessoas que entendiam o que eu estava passando, aprendi que um empreendedor sempre deve pensar positivo. É como ser uma estrela do rock, você não sabe no que está se metendo. É como quando você tem 18 anos e diz que quer ser um astro do rock, você não tem ideia de onde está se metendo. O mesmo acontece nos negócios. Talvez você tenha sucesso, talvez não, talvez tenha a intuição necessária para escolher o que é certo ou não. Você tem que acreditar no que você quer fazer. E você tem que aceitar que é assim que você é.

Alguns anos atrás, eu disse a um amigo que queria me tornar um piloto de avião comercial. Eu tinha pouco mais de 40 anos e ele não acreditou em mim, ele me disse que era tarde. Alguns anos depois nos vimos outra vez e eu tinha conseguido. Isso é um problema, algumas pessoas dizem coisas apenas para serem ouvidas, mas outras fazem o que dizem. As pessoas da primeira categoria acreditam que, se não podem fazer algo, ninguém pode. Muitos me disseram que eu era louco, que sou narcisista, mas foi assim que nasci. Sou visionário e sempre quero melhorar, ser o melhor possível. Devemos aprender a não ter medo de viver, a maioria das pessoas não tem mais a oportunidade de ser criativa, todos são apanhados em estatísticas insignificantes, mas aqui está outra discussão, pois muitas pessoas me procuram com boas ideias, no entanto, uma vez que eu me envolvo, acabo descobrindo diversas características ruins dessas pessoas. É claro que eles me consideravam uma estrela do rock, que tinham visto na internet a riqueza que eu tenho e que estavam tentando me pressionar a investir em algo. Eles não arriscaram nada! Bem, eu não posso aceitar isso. Talvez imaginem que eu não me importo em perder dinheiro ou em fazer um investimento ruim. Sou uma estrela do rock, mas tenho que pagar pelos erros de todo mundo e ajudar todos a sair da merda. Muitos querem tirar vantagem de mim e eu aprendi isso com experiências tristes. Mas eu não estava triste, alguns fazem isso conscientemente, outros inconscientemente. Se você quer entrar no negócio, precisa olhar para as pessoas que estão ao seu lado. Você só precisa entrar em negócios com pessoas que arriscam sua própria pele. Não importa se eu tenho mais dinheiro que os outros, quando começamos um negócio, devo garantir que ele tem todo o interesse do mundo em trabalhar. Arriscamos juntos.

Mas como você aprendeu essas coisas sozinho?

Eu não sei se é preciso aprender sozinho. É claro que você pode se desenvolver em uma direção positiva, e isso depende de você. Mas você sempre tem que olhar em volta, você precisa ficar perto de pessoas valorosas. Se você se sentar ao lado de pessoas valorosas, será motivado a fazer sempre mais, você vai querer aprender e crescer. É como quando você sobe a montanha, ela sempre será maior que você, mas isso não impede você de subir. Você precisa parar de sentir pena, pois a montanha nunca sentirá pena de você. Você deve sempre colaborar com os que estão ao seu redor e lutar para alcançar o topo, alcançar a costa, alcançar o topo da montanha, terminar o percurso vitorioso. Eu acredito na importância de fortalecer os personagens, é essencial que os jovens sejam ensinados a pensar em alto nível.

Lembro-me de uma noite em que estava no exército, eu tinha cavado um buraco e estava lá, guardando com um rifle na mão, estava frio, chovia muito, a água estava se acumulando na cova, eu estava completamente molhado às 4 horas da manhã. Senti pena de mim mesmo. Um superior veio até mim e me perguntou o que eu estava fazendo. Respondi que estava em guarda e que me sentia horrível, então o sargento me disse: "Tire a água da cova, coloque alguns galhos no chão, tente lhe dar algum conforto. Qualquer tolo pode se sentir desconfortável!" Nunca me esqueci disso: "Qualquer tolo pode se sentir desconfortável". É fácil sentar e reclamar. Mas é importante aprender a levantar do chão e procurar maneiras de dar um passo à frente. Desde então, essa tem sido minha atitude na vida. E é isso que eu gostaria que os jovens aprendessem. Estou sentado na minha bunda por muito tempo agora, é assim que eles são incentivados nas escolas. Eles não brincam mais do lado de fora, não interagem mais.

Você já jogou o pinball do Iron Maiden?

Sim. Eu brinquei, mas fui massacrado por um técnico da banda. É muito bom!

O que você acha das mudanças de som e estilo entre os álbuns "Seventh Son of a Seventh Son" e "No Prayer For The Dying"?

Não sei explicar, havia um entusiasmo coletivo. Eu não posso dar uma explicação, estamos onde estamos, então...

O quanto você se envolve na questão da segurança nos shows do Iron Maiden?

É um assunto muito importante. Sempre temos uma equipe de mais de 80 pessoas conosco e precisamos garantir que todos cheguem seguros em casa. Precisamente por esse motivo um gerente de turnê cuida de todos os detalhes. Agora estamos todos trancados em casas ou quartos de hotel, nós seguimos as regras. Na turnê, temos uma análise de risco, pois as pessoas carregam coisas pesadas, escalam andaimes, montam, desmontam... não é fácil. Temos uma cultura de segurança bem rígida. Estamos cuidando ​​da equipe e das dezenas de milhares de fãs, temos que manter tudo em ordem, nada é deixado de lado. Às vezes, surgem situações mais difíceis, mas sempre existe um plano B. Obviamente, em todos os shows queremos dar o nosso melhor, mas às vezes precisamos reduzir os efeitos e o cenário para garantir que todo mundo esteja seguro.

Como você se motiva a permanecer sempre positivo quando está em turnê?

Não é esse o caso, pois é onde me sinto melhor, não preciso de mais razões. Às vezes acordo no hotel e não tenho nada para fazer, mas imediatamente vou à arena e lá encontro pelo menos 50 amigos da equipe do Maiden. Conversamos, jogamos pinball... o tempo passa rápido. O melhor lugar do mundo para mim é estar em turnê.


O  mundo precisa de um novo álbum do Iron Maiden.

Sim, eu concordo, mas ainda temos que esperar!

Como você acha que o mundo será daqui a dez anos?

Dez anos, dez meses, dez semanas, dez dias, dez horas, dez minutos... em dez anos, eu não sei. Em dez meses, podemos começar a nos recuperar e voltar ao que pensávamos ser normal. Em dez semanas, poderemos andar pela Europa um pouco mais livremente. Dentro de dez dias, acho que eles nos deixarão ir à rua. Eu entendo que aqui em Paris eles nos permitem ir até 100 quilômetros. Não sei se consigo andar tanto. Daqui a dez anos? Eu não acho que alguém possa dizer como será a vida, então, todos nós temos opiniões e elas sim permanecem (as opiniões). Porém, uma coisa eu tenho certeza: as pessoas se tornarão muito mais responsáveis ​​e atentas quando se tratar de si e de suas famílias. Uma globalização ocorrerá em todo o mundo, os países agora entenderam que, em casos extremos, precisam se defender. Eles não têm segurança, essa pandemia começou de maneira brutal e todos foram pegos de surpresa, ninguém podia confiar nos vizinhos, ninguém tinha recursos extras. Tenho certeza de que todos os países aprenderam alguma coisa e precisamos estar cientes de que esses são os resultados de uma pandemia. Que Deus nos proteja de uma guerra ou de uma enorme catástrofe natural!

Como você vê o futuro da cena musical e dos shows?

O futuro das artes será perfeitamente refletido no futuro da humanidade. Ou permanecemos trancados em nossas cavernas ansiando por contato com outras pessoas e ficamos loucos, ou facilmente começamos a sair e retornar a uma vida normal em que podemos interagir, podemos ir a jogos e shows. Existem duas opções, os governos aprenderão com essa experiência, estarão melhor preparados para o próximo vírus que aparecerá. Precisamos de uma ação imediata dos governos, precisamos de laboratórios preparados para lutar nesses casos. Os políticos não sabiam o que fazer e enrolaram até que conseguiram levar alguns países à beira da destruição. É um momento difícil e temos que enfrentá-lo juntos. É difícil para a indústria de shows, para esportes... Eu tenho muitos amigos esportistas, campeões olímpicos e mundiais, não sei se você está ciente do trabalho que atletas como esses fazem todos os dias. Trabalham longas horas por dia, vivem para o esporte, eles sacrificaram suas vidas. Para eles, tudo o que importa são as competições, eles se preparam por anos para 5 minutos de uma prova e agora elas estão todas canceladas. Eu fui a algumas competições para veteranos, sou um veterano agora, mas para eles é terrível. Talvez no próximo ano eles não estejam em forma como agora. Claro, tudo voltará um dia, tanto para esportes quanto para shows. Mas vamos ver quando. Nós os informaremos.

Como é a vida sem shows?

Bem, é uma situação temporária. Então, temos que ficar calmos para voltar aos palcos depois. Não é agradável, o Iron Maiden tinha uma grande turnê agendada, shows para estádios lotados e com ingressos esgotados. Temos que esperar e ver o que vem a seguir. Passo a passo, vamos descobrir um novo mundo juntos.

LEIA TAMBÉM: 
IRON MAIDEN CANCELA SHOWS E CONFIRMA RETORNO AOS PALCOS EM 2021

Você ainda é um piloto ativo ou você deu um passo para atrás?

Eu poderia ser se tivesse um avião ao meu lado, mas não tenho muito tempo entre todas as coisas que faço. Agora cuido da empresa de manutenção de aeronaves e treino pilotos. Tenho muitos aviões estacionados agora, a indústria da aviação está quase bloqueada e começará a voltar à vida provavelmente em julho, talvez com 20% dos voos. Depende de como os governos abrirão as fronteiras. Acho que haverá mais voos em setembro, mas o inverno estará chegando e nesse período, o número de voos diminui outra vez. Também tenho medo de pensar em um possível retorno do vírus no inverno. Penso que no próximo verão cerca de 60% dos voos serão retomados e só no verão de 2022, quando as pessoas estarão vacinadas em grande número, talvez os voos voltem ao normal como conhecíamos em 2019. Muitas empresas irão à falência. Eu sei que é muito difícil, fiz parte de uma empresa que faliu, mas lutei para assumir e consegui recuperá-la. No entanto, os funcionários da aviação encontrarão empregos rapidamente, eles são poucos e são muito bons. O período será difícil, mas passará e as empresas que irão à falência serão substituídas por outras novas. Infelizmente, é assim que as coisas são.

O que você escolheria: voar ou cantar?

Bem, as coisas são muito simples. Existem muitos pilotos bons, mas muitos não podem cantar. Eu tenho sorte, ainda sei cantar, também derrotei um câncer, quero contar histórias através da música, através das letras. Então está muito claro, eu escolheria cantar.

Nos anos 90, você optou por cortar o cabelo porque queria trabalhar como piloto de avião. Você cortaria seu cabelo agora?

Sim! Quando cortei o cabelo, eu queria me tornar um piloto de avião. Foi o meu primeiro trabalho de verdade. Agora, anos depois, fui convidado a me tornar um membro honorário da Royal British Air Force. É um privilégio! Meio período, sem dinheiro e fazemos muitas coisas. Tentamos pensar, de forma moderna, a encontrar novas soluções para essa estrutura real. Eu tive que passar por uma série de entrevistas sérias, nunca me senti assim e aprendi mais do que na escola. Eu estudei! A última entrevista foi a mais difícil, na verdade, eu me senti como um estudante, um estudante de 60 anos, mas me senti tão jovem (risos). Na minha frente estavam o chefe da Força Aérea, o ex-vice-chefe da Força Aérea Real e um comandante, o homem que até recentemente lidava com todos os voos da rainha, e atualmente é o diretor da Boeing no Reino Unido. Havia muitos graus naquela sala. No final, eles queriam saber se eu tinha alguma pergunta para eles. E, por mais estúpido que pareça, perguntei se tinha que cortar o cabelo, agora que faço parte dessa estrutura. Eu mostrei o rabo de cavalo para eles. As opiniões ficaram divididas, mas no final, um dos generais me disse que, se eu usasse o uniforme, teria que cortar um pouco o cabelo. Eu entendo isso, não estou vestindo um uniforme no momento, mas se eu usá-lo um dia, terei que respeitá-lo. Alguns vêem o uniforme como um símbolo.

A última pessoa que me disse para cortar o cabelo foi Rod (o gerente do Iron Maiden). Ele me disse: "Você está ficando muito grisalho. Você precisa cortar o cabelo". Eu mostrei a ele que não era bem assim, que na parte de trás ainda tenho cabelos acetinados. Não me pergunte o motivo, eu não sei e isso não importa. Meu gerente me pediu para cortar o cabelo, mas eu sou um espírito rebelde e respondi: "Você é o gerente de uma banda de rock e me diz para cortar o cabelo? Bem, agora eu realmente não vou cortar o cabelo. Só para saber que estou fazendo isso por você!"

De onde vem toda a sua energia?

Comi meu mingau de manhã (risos). Eu chamo de "Mingau de Brucy". É especial! Leite de verdade, açafrão, maçã em pó, sementes de chia, aveia e uma colher de sopa de mel de manuka. Além de um café. Daí toda a energia. Então, estou pronto para lutar por 5 ou 6 horas! (Risos)

O que o mundo deve ter em mente depois de toda a nossa conversa?

Com otimismo, com entusiasmo, nunca pense que acabou. Sempre há esperança, por menor que seja. Nunca dê um passo para trás. A vida é a melhor opção que temos, nenhuma outra opção é aceitável. Pense de maneira criativa, seja otimista e não esqueça que haverá um amanhã. Verifique se está melhor amanhã, o segredo está em suas mãos. Divirta-se em sua casa, cuide-se e fique seguro! Use o que os médicos dizem para você usar, use uma máscara, não injete cloro (risos), ouça os médicos. Nós vamos sair disso também!
Tecnologia do Blogger.