Bruce Dickinson: "As pessoas pagam por um livro mas não por um disco"



Em entrevista para Ornella Carlone, do Comebackstage, o vocalista Bruce Dickinson falou sobre as dificuldades que as bandas novas enfrentam na atual conjuntura da indústria musical:

"Eles tem um trabalho muito árduo pois o download digital... bem, não o download em si, mas a consequência do Napster e coisas assim, mesmo o download estando na mídia hoje, o Napster destruiu o conceito da música ter algum valor, o que é terrível. Acho que o cara (que criou o Napster) deveria estar preso, e talvez ele esteja, ele merece, foi uma atitude de puro egoísmo destrutivo".



Na verdade, Bruce parece não conhecer a história de Shawn Fanning e Sean Parker, os criadores do Napster, que estão livres e se deram muito bem na vida. Um deles, Sean, até entrou em cana por conta de problemas com drogas, mas foi presidente do Facebook em 2004, fundou outras empresas e hoje possui uma fortuna avaliada em 2,1 bilhões de dólares.

Bruce continua: "Para uma banda como nós, que na verdade continuamos gravando discos, mas aceitamos o fato que não fazemos mais dinheiro com isto, apenas fazemos por gostar de gravar e produzir coisas novas. Mas ganhamos muito dinheiro com turnês. Outras bandas que fazem grandes canções não tem este luxo, e é complicado ver uma imensa nova geração de grandes músicos não ser remunerados pelo seu trabalho fantástico".

"Sou pago quando vendem um exemplar de meu livro. Levei dois meses e meio pra escrever e recebo uma quantia bastante razoável das vendas. Mas se este livro fosse um disco e eu levasse os mesmos dois meses e meio trabalhando nele teria que dá-lo de graça, pois as pessoas pagam por um livro mas não por um disco. Isto é muito triste e está errado. Não sei o que vai acontecer no futuro, talvez o download digital passe a cobrar um pouco mais caro para remunerar melhor os artistas".

Assista a entrevista completa no vídeo abaixo.





Fonte: Whiplash.Net
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »