Bruce Dickinson: "guerra de classes é besteira, pessoas são pessoas"



Em entrevista para o Irish Times, Bruce Dickinson foi provocado pelo entrevistador a comentar a contradição de ter estudado em Oundle, um internato muito prestigiado na Inglaterra, destinado especialmente às pessoas de classe média, e ter se tornado um vocalista de Heavy Metal, gênero que seria mais popular entre homens das classes sociais trabalhadoras e consideradas "alienadas".

"Não tenho muita certeza sobre isso. Não acredito que seja possível alocar qualquer estilo de música a uma determinada classe social. Você imaginaria que o punk fazia parte de uma classe extremamente trabalhadora, mas, na verdade, estava repleto de pessoas ricas em muitas bandas punk. No topo de várias bandas punk, estavam diversas pessoas de classe média ou anarquistas aristocratas. Também tinha uma participação justa das pessoas da classe trabalhadora. Evito guerra de classes, pois é besteira. Pessoas são pessoas. De onde elas vêm, bem como seus antecedentes, são características muito variadas. O dinheiro não deveria entrar nisso, a menos que essas pessoas queiram".

Fonte: Whiplash.Net
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »