...

Nicko McBrain: "Estamos no crepúsculo da banda"



Em entrevista para o MusicRadar, o baterista do Iron Maiden, Nicko McBrain, disse que a banda vai continuar em frente enquanto não for uma paródia de seu próprio legado.

"Nesse álbum nós analisamos tudo como uma banda, foi a primeira vez que sentamos na sala de controle após gravar as faixas. Algumas vezes, nós fizemos duas ou três versões e analisávamos as partes uns dos outros. Foi concebido, aconteceu dessa forma. Todos estavam criticando os trabalhos uns dos outros - 90%"eram elogios, mas 10% poderiam ser: ´Ah, você acelerou um pouco aqui, Nick´. Analisamos tudo, tivemos uma experiência maravilhosa."

Por mais que tenham tocado em dúzias de países em sua carreira, McBrain ainda tem duas ambições: tocar na China e no Royal Albert Hall em Londres.

"Eu achei que se tivesse feito um disco e tocado no Royal Albert Hall, quando tinha 25 anos, eu teria conseguido", diz. "Isso me motivava. Eu não acho que o Iron Maiden vai conseguir tocar lá - somos grandes demais. É um show pequeno, talvez para 5.000 pessoas, mas para mim é como os americanos quererem tocar no Carnegie Hall."

Aos 63 anos ele sabe que não pode continuar para sempre: "Estamos no crepúsculo da banda", reflete. "Não sou um vovozinho, mas estou na idade em que as pessoas começam a pensar sobre o quanto mais podem ir em frente."

Mas adiciona: "Se vamos fazer músicas como o ´The Book Of Souls´? Quem sabe? Enquanto tivermos saúde e ainda pudermos levantar e fazer o que fazemos, não vamos nos tornar uma paródia de nós mesmos. Se não pudermos tocar 'The Number Of The Beast', 'Run To The Hills' e as coisas novas, qual o sentido?"

Fonte: Whiplash.Net
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »