Steve Harris fala sobre sua paixão pelo Rock Progressivo



O baixista Steve Harris concedeu entrevista para a Prog Magazine e revelou como surgiu a sua paixão pelo Rock Progressivo, confira alguns trechos:

"Costumava ir à casa de um amigo para jogar xadrez e ele começou a colocar uns discos para tocar. Acho que ele estava tentando me distrair para ganhar (risos). No fim das contas eu disse 'não consigo ouvir e jogar ao mesmo tempo, posso emprestar alguns discos?' Nunca tinha escutado nada como aquilo. Ele me emprestou alguns discos, incluindo bandas mais pesadas como Black Sabbath, mas o grosso era de discos de bandas progressivas como Moody Bluyes. Aquilo absolutamente mexeu com minha cabeça".

"Todas as bandas eram incríveis. Tinham grandes composições que eram maravilhosamente tocadas, era tudo fantástico, entende? Adorei aquilo. Os primeiros Genesis me davam arrepios. 'Take a Peeble' do ELP também. Material maravilhoso. Lembro de ver o Jethro Tull no Top of the Pops pela primeira vez. Minha mãe odiou, e eu achei aquilo fantástico (risos). Mas não foi por isto que gostei. Me apaixonei por aquele estilo de música. Não conseguia acreditar que existia uma coisa tão fantástica".

"Analisando hoje, me sinto privilegiado de ter crescido em uma era onde aquelas bandas tinham carta branca para fazer o que quisessem. Aprendi que você deve sempre fazer o que acha que deve do jeito que achar melhor, esta foi uma grande lição. E no fim das contas, o objetivo são as músicas".

Leia a matéria completa (em inglês).

Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »