Bruce Dickinson: "Eu me considero muito sortudo por estar tudo bem"



Um sorridente Bruce Dickinson se descreveu em entrevista para o Times of Malta, como um ex-piloto em tempo integral que teve de tirar uma licença sem vencimento para cantar no Iron Maiden.

Ele pilotou aviões comerciais por 16 anos e agora é dono de uma empresa de aviação - mas isso tudo veio depois dele ter encontrado o sucesso com os gigantes da NWOBHM. Bruce conseguiu juntar suas duas carreiras em 2008, durante a turnê Somewhere Back In Time, quando viabilizou com a companhia em que trabalhava o Boeing Ed Force One.

"Quando eu estava pilotando voos regulares, eu costumava tirar uma licença sem vencimento para sair em turnê com o Iron Maiden. Tive sorte, eles deixavam. Eles nos ajudaram quando alugamos um dos aviões da empresa para dar a volta ao mundo três vezes. Eu gerei alguns milhões de dólares de renda, então eu acho que isso me ajudou com o presidente do conselho."

Agora Bruce é o chefe na Cardiff Aviation e diz: "Eu posso organizar meu tempo da forma como eu desejo. Chegou a hora de sair em turnê novamente com o Iron Maiden e eu vou estar correndo para as colinas."

O vocalista está se recuperando do tratamento contra um câncer, depois que dois tumores foram encontrados em sua garganta, forçando a banda a adiar o lançamento do álbum "The Book Of Souls". Dickinson comentou: "Eu terei que ir com calma por um tempo e eu estou consciente de que eu ainda devo ir bem devagar. Mas porquê? Se eu estou me sentindo bem, em forma e todo o resto?"

"Eu me considero muito sortudo por estar tudo bem. Eu estou de volta na companhia aérea sem restrições, tão bem como antes. Os médicos foram surpreendentes. O tratamento era desconfortável, mas funcionou. Estou cautelosamente feliz com o resultado."

Assista a entrevista completa no Times of Malta
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »