Steve Harris fala sobre a relação entre futebol e Heavy Metal no Brasil



O jornal Folha de S. Paulo, em matéria assinada por Thales de Menezes, fez um levantamento a cerca dos artistas internacionais que mais se apresentam no Brasil e constatou que o país do futebol parece ser também o país do Heavy Metal.

O levantamento dos últimos 20 anos indica que o gênero paira tranquilo sobre as turbulências do mercado. Enquanto Madonna já esteve aqui em momentos de histeria total, mas também não fez muito barulho em sua passagem mais recente, o Iron Maiden, por exemplo, trouxe suas turnês para cá em dez oportunidades e em todas lotou estádios de futebol.



A comparação com artistas pop e outros gêneros impressiona. Enquanto o U2 veio apenas quatro vezes ao Brasil, fenômenos pop como Britney Spears nem chegam perto disso.

No Rock in Rio, o metal aumentou sua participação. No ano passado, duas das sete noites do festival foram dedicadas ao gênero, com 16 bandas pesadas na escalação.  Nas três primeiras edições do festival  (1985, 1991 e 2001) foram apenas 5 bandas do estilo.

O circuito de casas menores no país é igualmente poderoso. Notadamente em São Paulo, onde pelo menos 110 grupos estrangeiros tocaram nesses locais em 2013.



A Folha conversou com o baixista do Iron Maiden, Steve Harris, sobre o caso de amor dos brasileiros com o som pesado. Segundo o líder da Donzela de Ferro, "Tem tudo a ver com futebol (risos). Acho que essa massa de público que vai ver o Iron Maiden no Brasil há tanto tempo é fruto da grande estrutura do futebol. Vocês têm estádios enormes em um monte de cidades, é impressionante", afirma Harris, com a experiência de já ter tocado no Morumbi, Pacaembu e mais três estádios brasileiros.

Leia a matéria completa no site da Folha:
AUMENTO DE TURNÊS INDICA QUE BRASIL É O PAÍS DO METAL
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »