Bruce Dickinson fala sobre carreira solo e novo disco do Iron Maiden



O vocalista Bruce Dickinson concedeu uma entrevista para Mehmet Tez do jornal turco Milliyet, onde falou um pouco sobre a Maiden England Tour, anos 80 e outros assuntos. Confira!

Por: Mehmet Tez / Milliyet

Tive posters do Iron Maiden pendurados na parede do meu quarto quando eu tinha 15 anos. E hoje os garotos de 15 anos ainda possuem posters do Iron Maiden pendurados na parede. Algumas coisas nunca mudam, mas essa não é a única razão para considerar isso. Bruce Dickinson sentado na minha frente parece estar muito bem. Seu cabelo é um pouco menor do que naquela época, mas a energia é a mesma. Eu tive a chance de conhecê-lo no backstage depois do show da banda em Moscou. Fiz perguntas sobre a atual turnê e planos para o futuro.



O que você pode dizer sobre o conceito da Maiden England Tour?

Posso dizer que não é igual a de 1988 na Seventh Son of a Seventh Son Tour. A tecnologia, a produção e iluminação evoluíram muito. Nos permitiu mostrar tudo de uma maneira diferente outra vez. Pode-se dizer que este show é uma perspectiva histórica do Iron Maiden.

 O que os anos 80 significam para você?

Estávamos muito ocupados naquela época. Éramos menos experientes em relação a hoje. E, provavelmente tocamos muito melhor agora, para ser honesto...

O que mudou e trouxe mais experiência para você?

Foram realmente anos muito difíceis. E quase nada soou repetido em todos esses anos de turnês. 20 anos podem fazer isso. Não acho que eu seja invencível e biodegradável. Mas como disse, os concertos frequentes me cansavam. Agora estamos muito melhores musicalmente. Nos comportamos melhor. Isto por sua vez, afeta a música. Turnês de três meses por ano, e não 12 meses. Não fazemos mais nove shows em 10 dias. Agora são duas ou três vezes por semana, e isso afeta positivamente o desempenho.

Você disse que estava muito ocupado nos anos 80. Mas agora você é escritor, cineasta, piloto, empresário e vocalista do Iron Maiden... de onde você tira energia para realizar tudo isso?

É simples. Eu não faço tudo ao mesmo tempo. Eu coloco tudo em ordem. Agora estou fazendo uma entrevista, daqui meia hora vou estar cantando no palco.

O que te dá mais gás para continuar nos palcos?

Estar no palco é como um relógio mecânico à moda antiga. Quando todas as engrenagens na parte traseira de seu mecanismo são bem lubrificadas e você nem pode ver. Na parte da frente apenas as horas, mas uma grande quantidade de trabalho nos bastidores em conjunto uns com os outros. Isso funciona em um mecanismo bem lubrificado, se tudo está funcionando bem, eu terei gás para subir ao palco. Os fãs na minha frente prontos como animais, um som ótimo. Estes são momentos especiais que fazem este trabalho valer a pena.

Sempre pensei no Iron Maiden como um grupo de protesto. Mas na mídia a banda mantém sempre uma postura distante. O que você acha?

Absolutamente certo. O Iron Maiden é um grupo de pessoas. Tocamos em países cristãos ou países muçulmanos, temos fãs muçulmanos e cristãos. Mas não importa, estão todos na multidão, todos juntos. Não importa qual a religião, todos sentem a mesma coisa. Eu amo este lado do Iron Maiden que reúne as pessoas.

Teremos um novo álbum do Iron Maiden em 2014?

Não. Definitivamente teremos um novo álbum em algum momento, mas eu não sei quando. Talvez em 2015.

Você lançará um álbum solo?

As pessoas estão me pedindo para fazer isso. Então pensarei sobre o assunto... por que não?

Fonte: Milliyet
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »