Músicas raras e curiosas do Iron Maiden (PARTE 4)



Essa é a quarta e última parte da matéria de Bruno Prado sobre as mais raras e curiosas músicas do Iron Maiden. Para ler as partes anteriores e entender o critério de classificação acesse os seguintes links:
MORE TEA VICAR
Classificação: 1



Sua letra estranha em sem nexo é uma paródia com o canal MTV (iniciais de More Tea Vicar) que vende sua imagem como um canal de música mas ultimamente vem colocando outras besteiras no ar.

“Vicar” é o correspondente em inglês ao “Vigário” na língua portuguesa, portanto o título significa “Mais chá, Vigário?" Esta é uma espécie de piada de bar sobre os flatos de uma determinada pessoa. Falar “more tea vicar” aos presentes seria como admitir o mau odor, o que poderia ser entendido como uma resposta a programação supostamente “fedorenta” da MTV.

A piada não faz muito sentido em português, mas acreditem, tem certa popularidade entre os ingleses.



DANCE OF DEATH (ORCHESTRAL VERSION 2)
Classificação: 4

Em 2002 no single Raimaker foi lançada a versão orquestrada da música Dance of Death, que assim como Blood Brothers anteriormente, teve arranjos do compositor Jeff Bova (vencedor do Grammy e que já trabalhou com Michael Jackson, Eric Clapton e Bob Dylan, entre outros).

A curiosidade em torno dessa faixa é que na versão "pock it!" (mini-CD) do mesmo single ela está intitulada como “Orchestral version 2”. Não se sabe se era pra ter alguma mudança nos arranjos mas tanto a versão 1 como a 2 são exatamente iguais.



OBS: o nome dado a algumas versões muda de acordo com o país lançado, como é o caso de The Angel & the Gambler (Short Version / Edit) e The Reincarnation of Benjamin Breeg (Rock Club Mix / Edited). Mas neste caso, além de não depender da regionalidade, o acréscimo do número 2 deu a entender que seria uma segunda versão orquestrada, o que não se confirmou, fazendo desta uma versão bem peculiar.



JOURNEYMAN (ELECTRIC VERSION)
Classificação: 2



Facilmente encontrada até os dias atuais, esta versão possui uma pequena curiosidade. Ela foi preparada para ser lançada no álbum Dance of Death mas a banda preferiu inserir a versão acústica por achar que soaria melhor. Essa “versão elétrica” de Journeyman virou então um b-side do EP No More Lies de 2004.



THE NUMBER OF THE BEAST (PRICELESS EDIT)
Classificação: 2



Esta versão foi lançada na reedição de seu single em 2005 e não tem aquela famosa introdução narrada de dois versículos bíblicos dos capítulos 12 e 13 do apocalipse (“woe to you, oh earth and sea”, etc)

O título “priceless edit” tem duplo significado e uma interessante curiosidade que passa despercebida por muitos fãs. Durante muito tempo existiram boatos de que Vincent Price narrou a introdução de The Number of The Beast. Price era um famoso ator e narrador americano de filmes de terror. É dele a voz no filme/clip Thriller de Michael Jackson, e Welcome to My Nightmare de Alice Cooper, entre outros.

Bruce Dickinson revelou que o Iron Maiden até chegou a convidar Price em 1982, mas ele recusou-se a fazer o trabalho por menos de 25 mil libras. Com a recusa de Price a música ficou sem introdução e seria lançada no álbum assim mesmo, mas na última hora a banda achou um ator inglês (Barry Clayton) que fez o trabalho com uma voz muito semelhante.

“Priceless” portanto é um trocadilho com o sobrenome de Vincent Price. Além de significar “sem preço” em função do alto valor cobrado, também significa “sem o Price”, o narrador.

Veja abaixo o link para duas matérias curtas (em inglês) sobre a intro de The Number Of The Beast e a morte de Barry Clayton. Confira:

THE TROOPER (LIVE 07.06.2005 IN REYKJAVÍK, ICELAND) E DIFFERENT WORLD (LIVE 09.11.2006 IN AALBORG, DENMARK)
Classificação: 5



Essa versão de The Trooper foi a primeira faixa que o Iron Maiden lançou exclusivamente pela internet. Ela só pôde ser encontrada na versão digital de seu single que foi vendida por um curto período em 2005 para celebrar um momento especial da banda: a primeira edição do que seria chamado de "Bruce Air", uma promoção na qual o vocalista Bruce Dickinson pilotava um Boeing 757 sob número de voo AEU 666 lotado de fãs para shows em alguma parte do mundo (nesta 1a edição, na Islândia). Posteriormente tal avião alugado se tornaria o “Ed Force One” e os voos AEU 666 dariam nome ao documentário da banda “Flight 666”.

A versão de Different World gravada em Aalborg é a única outra faixa, além da já citada The Trooper, lançada apenas na internet. Seu “single digital“ vinha com uma entrevista com Steve Harris e pôde ser adquirido até o natal de 2006.

Nenhuma delas aparece em qualquer item físico oficial até os dias de hoje, já que todas as demais versões de seus singles vinham com outras gravações. Na internet também não é tão fácil achá-las para download. Suas versões em bootlegs de seus shows são bem mais acessíveis e talvez por isso pouca gente se interessou em pagar para ter uma música na qual a mesma versão já estava na web gratuitamente.

OBS: outras músicas do Iron Maiden já haviam sido lançadas em versão digital antes, entretanto, elas eram as mesmas versões de seus itens físicos.

Abaixo podem ser conferidas as matérias sobre o lançamento de ambas as músicas e a antiga versão da página de download oficial de The Trooper:

Matéria sobre "Different World"
http://www.ironmaiden.com/different-world-single-details.html
Matéria sobre "The Trooper" 
http://www.blabbermouth.net/news.aspx?mode=Article&newsitemID=40618

Confira abaixo a imagem do website da versão digital de "The Trooper"



Agradecimentos ao Bruno Prado por ter colaborado com esta série enviando seus textos para o Iron Maiden 666. Muito obrigado Bruno! Você também pode ser nosso colaborador. Envie seus textos para 666brasil@gmail.com
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »