Ozzfest 2005: sabotagem e ovos em San Bernardino



O ano era 2005 e o Iron Maiden embarcou em uma turnê comemorativa onde resgatava seus primeiros discos para promover o lançamento do DVD "The Early Days". Nos Estados Unidos, a Donzela de Ferro era uma das atrações do festival Ozzfest, com shows ao lado de nada mais nada menos que o Black Sabbath com sua formação original! Mas o que era para ser uma grande festa, acabou se tornando um pesadelo para o Maiden. Reunimos tudo que foi postado pelo Whiplash.Net na época! Confira!

No dia 20 de agosto de 2005, em San Bernardino, Califórnia, depois de substituir o Black Sabbath como atração principal em algumas datas da turnê, o Maiden voltou a ocupar a sua posição de banda de abertura de Ozzy e cia. Era a última apresentação daquela turnê, e os problemas começaram a aparecer, segundo os relatos da época, antes mesmo de começar o show.

Durante a introdução The Ides of March, uma voz no sistema de som gritava "Ozzy, Ozzy...", e na sequência, logo na primeira música, Murders in The Rue Morgue, os músicos foram atingidos por vários ovos, gelo e garrafas de água vindos de um ponto específico do público bem em frente ao palco.

O Iron Maiden continuou seu show, mas na sequência, durante The Trooper, os problemas voltaram a ocorrer; além dos ovos, uma pessoa – reconhecida como 'MC' do Ozzyfest, ou seja, o cara que apresenta as bandas antes das apresentações, e o mesmo que gritava “Ozzy” nos P.A. - entrou no palco portando a bandeira do Estados Unidos, uma clara provocação, uma vez que o vocalista Bruce Dickinson costuma exibir a bandeira da Inglaterra durante a canção. O vocalista, então falou com o público e declarou que eles jamais escutariam o Iron Maiden em uma rádio americana ou na MTV, e nem os veriam em um “reality show”.

Apesar de todos os incidentes, o Iron continuou a apresentação com muito profissionalismo. Segundo relatos, o sistema de som chegou a falhar cinco vezes durante o show, o que não foi suficiente para abalar os músicos que continuaram tocando, e foram aplaudidos pela platéia, que os apoiou cantando todas as músicas.





Ao final do setlist, Bruce voltou ao palco e relatou para o público que tudo que aconteceu parecia ser uma sabotagem. Ele ficou surpreso que mesmo com toda a segurança do evento, “um fã acidentalmente tenha conseguido entrar com 36 ovos”, fora as estranhas panes do P.A., Bruce afirmou que eles voltaram para o bis por causa dos verdadeiros fãs do Iron Maiden, que estavam lá para prestigiar a banda, quando do sistema de som a mesma voz de antes começou a gritar "Ozzy, Ozzy...". Dickinson foi rápido e contra-atacou puxando o coro “Maiden, Maiden...” e foi seguido pela grande maioria dos presentes.



Para piorar ainda mais a situação, ao término do show do Iron Maiden, a mulher de Ozzy Osbourne e organizadora do Ozzfest, Sharon Osbourne, foi ao palco e declarou que gostaria de agradecer aos músicos do grupo e a sua equipe técnica, mas lamentava que o vocalista Bruce Dickinson fosse um “babaca” – a palavra exata usada por ela foi “prick”, algo como provocador, que gosta de alfinetar, etc. Segundo ela, Bruce havia desrespeitado o Ozzfest desde o início da turnê. De acordo com relatos, ele havia feito críticas ao programa de TV que Sharon apresenta. A resposta dos fãs veio na forma de uma tremenda vaia, e uma grande parte do público foi embora mesmo antes do Black Sabbath tocar.







O episódio entrou pra história como mais uma das baixarias de Sharon Osbourne, conhecida por seu temperamento difícil. Nos dias que se seguiram ao fatídico 20 de agosto de 2005. As trocas de acusações entre o Iron Maiden e Sharon continuaram na imprensa. Confira abaixo algumas das declarações da época.



Sharon Osbourne divulgou um comunicado oficial acusando Bruce Dickinson de desrespeitar o espírito do Ozzfest e não ter respeito pelos norte-americanos ao balançar a bandeira inglesa durante a música “The Trooper”. Confira o comunicado na íntegra:
“O Iron Maiden foi escolhido para participar da turnê Ozzfest porque o nosso comitê sentiu que eles eram uma boa banda, além de fazer algum tempo que eles não faziam shows nos Estados Unidos. Desde o primeiro dia da turnê, Bruce Dickinson censurou duramente Ozzy e menosprezou o público do festival. Ele afirmou que não precisava de um ‘reality show’ para lhe dar credibilidade, que o Maiden não era uma banda só para uma reunião (NR: dessas que só fazem show visando lucro) e continuava sempre reclamando do sistema de som. Afirmava que dá próxima vez que ele voltasse para a América do Norte, teria um som com qualidade melhor.

Eu entendo que faz tempo que ele não faz uma turnê grande nos EUA com uma estrutura do porte do Ozzfest. Ele é o primeiro de 200 bandas que passaram pelo festival nos últimos 10 anos que não se encaixou no espírito do Ozzfest. Ele pensou que estava numa batalha entre bandas, sempre fazendo comentários sobre os outros artistas.

Devo dizer que os outros integrantes do Iron Maiden são cavalheiros e tiveram uma atitude profissional. A equipe técnica foi absolutamente perfeita. Mas é tão triste que depois de 10 anos, aquele baixinho (Bruce) tenha tentado estragar tudo. As bandas que participam do Ozzfest não o consideram como uma turnê e sim como uma época de férias. Bruce na verdade é babaca invejoso. Nenhuma das suas tiradas foram direcionadas ao Sabbath, mas sim ao Ozzy. Steve Harris falou pessoalmente com o Ozzy em San Bernardino e pediu desculpas pelo comportamento de Bruce durante a turnê, dizendo que ele e o resto do grupo foram envergonhados por seu próprio vocalista.

Também me ofendeu toda noite o fato dele usar a bandeira da Inglaterra nos Estados Unidos. Existem garotos americanos indo para a guerra juntamente com ingleses todo dia. Como ele se atreve a esquecer das tropas americanas na sua própria terra. Ele não tem respeito pela audiência americana, ele estava fazendo um joguinho, afirmando em entrevistas que 'quando se faz uma turnê só com hits nos EUA, a platéia é presunçosa', e existem um sentimento de satisfação pessoal do tipo 'conseguimos o que queríamos’ e eu (Bruce) olho para ela que está satisfeita, feliz e gorda, recebendo o que queria e não se levanta para nada. (NR: essa declaração feita por Bruce foi com relação ao fato de que nos shows americanos que o Maiden fez antes o público era formado em sua maioria de pessoas mais velhas, que ficavam tomando refrigerante nas cadeiras e não ficavam na frente do palco como os garotos, coisa que segundo ele, não acontece na Europa, onde os fãs são mais jovens).

Antes de existir o Samson, já existia o Sabbath. O Ozzfest 2005 continua com o Velvet Revolver (na vaga do Maiden). Agora é que a diversão começará.” (Sharon Osbourne)




Após o pronunciamento de Sharon, foi a vez do Iron Maiden se manifestar em comunicado oficial.
"O Iron Maiden  gostaria de agradecer todos os 45 mil fãs que compareceram no Ozzfest, em San Bernardino, no último sábado à noite, por ficarem do nosso lado e nos darem uma resposta tão positiva ao final de um show complicado. Ficou óbvio para todos que lá estavam que nós tivemos uma “série de fatos desagradáveis” durante o set. Foi difícil para nós mantermos o pique, mas o incrível apoio recebido de vocês nos ajudou a passar por aquilo tudo. Achamos que tudo isso vai fazer parte de uma memorável apresentação.

Entretanto, o Ozzfest é um festival de metal, supostamente deveria ser divertido para todos. Os fãs pagaram um bom dinheiro para estar lá e mereciam ver uma performance sem impedimentos de todas as bandas. Não foi isso que aconteceu naquela noite.

Portanto, com esse final bizarro de uma boa turnê nós retornaremos para a Inglaterra para participar dos festivais ‘Leeds’ e ‘Reading’. Mais uma vez obrigado a todos que vieram nos assistir nas últimas semanas.”

Apesar desse triste desfecho, a passagem do Iron Maiden pelo verão americano também rendeu momentos de alegria para o grupo. No último dia 19 de agosto, os integrantes do conjunto passaram a fazer parte da ‘Rockwalk Of Fame’ (Calçada da Fama dedicada ao Rock), com uma estrela em frente ao Guitar Center, em Hollywood, na Califórnia."




Logo depois, o manager do Iron Maiden, Rod Smallwood, divulgou um press-release sobre os incidentes ocorridos no Ozzfest:
“O Iron Maiden  está no momento voltando da viagem  à América do Norte e se preparando para tocar no próximo final de semana nos festivais britânicos. Os integrantes não desejam perder tempo respondendo a Sharon Osbourne. Considerando a vergonhosa natureza dos eventos ocorridos, eles sentem que é desnecessário dar uma justificativa, que os fãs de Metal de forma alguma são bobos e que eles vão conseguir facilmente entender o que aconteceu. Os integrantes do Maiden não querem mais saber desse lamentável incidente e estão ansiosos para comandar, como atração principal, os festivais Reading e Leeds.

No entanto, eu quero comentar o caso.

Em 30 anos na indústria musical e depois de ter comparecido a milhares de shows, nunca tinha visto em lugar nenhum algo tão repugnante e antiprofissional como o que ocorreu naquela noite. Eu estava em frente da nossa mesa de som, como sempre faço, mas corri em direção ao palco assim que começaram a chover coisas lá. Fiquei, então, na frente, do lado direito da passarela na qual o Bruce anda. A quantidade, a ferocidade e a concentração de coisas arremessadas, foi tão grande, que ficou óbvio que se tratava de algo premeditado e coordenado. Atacar músicos com garrafas plásticas, isqueiros e ovos enquanto eles estão tocando a uma distância pequena é algo vil, perigoso, criminoso e covarde. É incrível que os seguranças do Ozzfest aparentemente não tenham feito nada – eles não estão lá para proteger as bandas também? Principalmente quando a banda está concentrada em sua performance em frente a um público de 45 mil pessoas. E cuspir em uma artista no palco é imperdoável.

O Iron Maiden, como todas as bandas que participaram do Ozzfest, teve que assinar um documento prometendo não jogar nada para os fãs, nem mesmo os braceletes de pano (NR: o que o Maiden sempre faz)!!!! Isso não é irônico.

Está muito bem documentado na Internet quem foi o responsável de planejar e participar dos ataques, e ver outros músicos participarem desse ato foi algo chocante e traiçoeiro. Vocês deveriam estar envergonhados.

Nós sabemos quem autorizou a gravação com o coro de 'Ozzy - Ozzy' no dia anterior e como ela foi tocada secretamente pelos P.A., no início e no fim do nosso set.

Também sabemos quem, continuamente, desligou a força interrompendo o show em momentos cruciais. Foi bom que a energia tenha voltando antes que um tumulto fosse causado na platéia, que estava ficando aborrecida com os contínuos ataques (NR: leia-se sabotagem mesmo) contra a banda.

A grande maioria da equipe técnica do Ozzfest foi demais com a gente durante a turnê e nós os agradecemos por isso. Aqueles que participaram dos ataques ou apenas ficaram olhando sem nada fazer, também deveriam estar envergonhados. Espero que eles nunca cheguem perto de uma turnê em que o Iron Maiden esteja envolvido.

Não tenho muito o quê falar sobre o cara que entrou com a bandeira no palco, ou o fato deles terem tentando impedir o Eddie de entrar ou ainda o discurso da Sharon, uma vez que o público se manifestou claramente em cada uma dessas ocasiões (NR: com vaias é claro).

E pra que tudo isso afinal? Se eu tivesse algum problema ou um mal-entendido com uma banda durante uma turnê, eu falaria diretamente com eles ou com o empresário – não esperaria até o final da turnê para criar uma armadilha e atacá-los. Ou é assim que se faz?

Acho um vacilo esta armadilha acontecer na frente de qualquer público, principalmente em San Bernardino, a maior platéia da turnê. Eles não são dignos de consideração? Pagaram caro pelo ingresso, pelo estacionamento, pela comida, bebida, etc. É justo que se eles gastaram esse dinheiro todo, merecem assistir as bandas tocarem sem impedimentos, e livres de qualquer perigo ou intimidação. Se eu tivesse pagado, pediria meu dinheiro de volta.

E o público que lá estava realmente foi maravilhoso, dando ao Maiden, o apoio necessário, se manifestando contrariamente com os pés ao final do show e durante o discurso (da Sharon) - o que muitos acharam foi o insulto final.

Tenho que dizer que estou imensamente orgulhoso dos integrantes do Maiden, que diante de tamanha adversidade se mantiveram com coragem e foram melhorando a cada momento (do show). Nunca baixaram suas cabeças, ao contrário, se mantiveram na ofensiva. Foi um momento memorável quando Bruce foi até a frente do palco durante a ‘The Trooper’ – coisa que normalmente ele só faz nas rampas do palco - com a bandeira em punho desviando os objetos que eram jogados e gritando “Essa é a poderosa bandeira da Inglaterra, e essas cores não fogem nunca”!. A atitude imperturbável e a capacidade da banda durante o show e ao final, fizeram desse um inesquecível evento do Rock and Roll, mesmo que pelas razões erradas.

Não temos mais nada para falar sobre o incidente, a não ser que a banda merece uma desculpa de várias pessoas, e vocês sabem quem são. (Rod Smallwood).




Logo em seguida, Sharon Osbourne divulgou uma carta aberta dirigida ao empresário do Iron Maiden, Rod Smallwood, onde assume ter sabotado o Iron Maiden. Leia o comunicado na íntegra:
"Rod, eu achei sua declaração completamente infundada com relação aos fatos que ocorreram no show de sábado. O press release que você escreveu parece com o de um empresário dos anos 80 tentando usar toda e qualquer oportunidade para vender mais discos e mais ingressos ao invés de falar a verdade.

Esse são os fatos:

Você diz que está no ramo musical há trinta anos e foi há mil concertos, mas você pode me dizer quantas vezes uma banda de abertura ao falar merda da atração principal durante uma apresentação e saiu ileso com isso? Ozzy não só é a atração principal (do Ozzfest) como era ele que te pagava $185,000 toda noite. Nós demos ao Iron Maiden a chance de tocar, nos Estados Unidos, para as maiores platéias de sua carreira (NR: em território americano). Nós os acomodamos com o palco e a pedido da banda usamos as mangueiras de água nas pessoas com camisa do Iron Maiden  e os colocamos mais à frente durante o set para que se sentissem mais confortáveis. Diga-me, qual outra banda principal faria isso? Infelizmente esses gestos não foram apreciados por Bruce Dickinson, que durante todos os 20 shows continuava falando mal de Ozzy e do Ozzfest durante as apresentações.

Durante os últimos 10 anos nós trabalhamos com mais de 200 bandas. Nenhuma delas nunca desrespeito o Ozzy ou outra atração da turnê. Mas durante 20 shows, nós fomos forçados a ouvir todas as noites Bruce Dickinson  reclamando coisas como: “Da próxima vez que voltarmos para a América, traremos um sistema de som descente” ou “Nós não tocaremos as mesmas canções antigas todas as noites (como o Sabbath)”, “Nós não precisamos usar o teleprompter (como Ozzy)” e “Não precisamos de um reality show para ser legítimos (de novo referência ao Ozzy)”. Todas as noites nós ouvíamos as reclamações dele, de como existia um corporativismo nos locais dos shows e quão ultrajantes eram os preços dos ingressos. Estranhamente, se você quiser comprar um ingresso para ver o Iron Maiden no festival ‘Reading’, no próximo final de semana, você tem que pagar mais de $120. Eu diria que isso não é barato, certo?

Quando um artista vem ao palco e diz que ao invés de tocar os 55 minutos, que lhe são permitidos, vai tocar o tempo que desejar (diminuindo o tempo do Sabbath), eu não permitirei que isso aconteça. Dickinson estava pensando que as 46 mil pessoas em San Bernardino, tinha ido até lá só para ver o Iron Maiden. Ele até proclamou “Esse não é o Ozzfest, esse é o Maidenfest”. Acho que ninguém o avisou que nós temos todos os anos um público em torno de 45 mil a 53 mil pessoas em San Bernardino.

Aqui vai mais um fato para você. Bruce Dickinson envergonhou sua própria banda. O líder do Iron Maiden, Steve Harris, foi até o camarim de Ozzy e pediu desculpas pelo comportamento do Bruce antes do show do Maiden, em San Bernardino.

É vergonhoso que Dickinson tenha se sentido no direito de falar publicamente, no palco, sobre os problemas, todas as noites, como uma forma de alimentar seu ego. Bruce nunca chegou até mim ou até o Ozzy para reclamar de nada. Com certeza ele teve a oportunidade de fazer isso todas as noites. Se ele não foi capaz de nos fazer essa cortesia, porque eu deveria dar-lhe o respeito de fazer minhas queixas sobre ele em particular. Ozzy só encontrou com o Dickinson na noite do primeiro show da turnê, quando Ozzy, como um cavalheiro que é, disse ao Bruce “Boa sorte e tenha um bom show”. Infelizmente Dickinson sentiu que devia dar as costas ao Ozzy e sair fora. Francamente, Bruce teve o que mereceu. Nós escutamos as merdas que ele falava durante 5 semanas. Ele só teve que levar um punhado de ovos na cabeça

Para finalizar, sim eu cortei o som do Iron Maiden. É dessa maneira que eu vejo a situação: Ozzfest é a nossa turnê. Nós construímos o festival nos últimos 10 anos. Somos responsáveis por descobrir muitas bandas novas e ressuscitar carreiras de antigos superstars. Parte de nosso sucesso vem do fato de que, quando uma banda está no Ozzfest, nós a tratamos com gentileza e respeito da mesma maneira como se tivéssemos os convidado para nossa casa. Você pode perguntar isso para qualquer banda que esteve em turnê conosco. Todos dizem que se trata de um período de férias com a família. Infelizmente, Dickinson não teve a discernimento de perceber que quando você é convidado para a casa de alguém, estar sentado na mesa de jantar, bebendo e comendo de as suas custas, você não deve falar mal de seu anfitrião (Ozzy, Black Sabbath e Ozzfest), do contrário você pode ser repreendido. Toda ação tem uma reação. Dickinson foi tão ingênuo de pensar que eu o deixaria sai ileso depois de falar merda da minha família todas as noites?

Acho que ele não percebeu com quem estava lidando. Eu não vou suportar um comportamento como esse de qualquer um.

Eu sei que você gostaria de continuar com esse bate-boca porque essa foi a maior exposição na mídia americana que o Iron Maiden jamais teve em vinte anos, mas vamos acabar por aqui, certo?

Sinceramente, a verdadeira Dama De Ferro." (Sharon Osbourne)
Após os comunicados oficiais, diversos músicos se manifestaram sobre o ocorrido. Inclusive Steve Harris e Ozzy Osbourne falaram algum tempo depois. Confira algumas declarações da época:

Otep Shamaya, vocalista da banda OTEP:  “Eu estava junto com a Kelly Osbourne e mais alguns amigos no sábado e presenciei a carnificina que aconteceu com o Iron Maiden, enquanto eles tocavam. Acho que não é uma boa idéia, e não importa quantos álbuns você vendeu ou o quão grande você pensa que seu ego é, insultar ou atacar o cara que criou o festival no qual você está tocando. Eu não sei o porquê de tanta hostilidade por parte do pessoal do Maiden, mas não foi algo bem recebido (pela platéia). Talvez, eles devessem começar um Maidenfest e então insultar quem eles quiserem, sem usarem de hipocrisia utilizando o nome do Ozzfest para se beneficiar e criticando seus criadores ao mesmo tempo”.

Zakk Wylde, guitarrista do Black Label Society: “Embora eu seja um grande fã do Iron Maiden e de sua música, não gosto do Bruce Dickinson falando merda sobre a América e sobre o padrinho (Ozzy) de meu primeiro filho”.

Kai Hansen, vocalista e guitarrista do Gamma Ray: "Eu não tenho palavras para um comportamento como aquele. É amador. Mesmo se Bruce Dickinson  tivesse dito coisas ofensivas, o que acho que não se deve fazer, não há justificativas para aquilo. Coisas como essas podem até acontecer entre pequenas bandas locais, naquelas rivalidades comuns da cena 'underground', o que também não faz mal a ninguém. No entanto, nunca pode ser feito no meio profissional da música. Você tem que respeitar o show do outro músico, e nunca atrapalhá-lo. Isso é uma regra. Eu não tenho palavras (N. do E.: bastante irritado). Digo, não quero me envolver nisso, mas não posso deixar de me perguntar que tipo de puta estúpida Sharon Osbourne deve ser."



Ozzy Osbourne, em entrevista à Launch Radio Networks: “Não tenho absolutamente nada a ver com aquilo tudo e não concordo com nada daquilo. Mesmo com o vocalista deles dizendo péssimas coisas a meu respeito, como ouvi dizer depois, mas eu nunca o ouvi pois nunca fui vê-los ao vivo. Mas naquela noite, o baixista deles [Steve Harris] veio até meu camarim e me disse: ‘desculpe-me pelo nosso vocalista’. Eu estava totalmente confuso sobre o que o cara estava falando”.



Steve Harris em entrevista à edição espanhola da revista Metal Hammer: "Preferiam que isso tivesse ocorrido longe do palco, tenho certeza, mas não foi assim. O bom é que o público estava conosco e, quando o som do PA foi cortado, nos apoiaram. Isso me deixou orgulhoso e me deixou arrepiado. Foi incrível o que aconteceu. Não por jogarem coisas em nós, como nossos roadies fazem quando acabamos as turnês (risos), mas é triste ver gente agindo desse modo quando têm problemas. Se você tem um problema, por quê não age como... eu diria um homem, mas tenho certeza que se fosse um homem envolvido, as coisas teriam sido diferentes. Os problemas teriam sido discutidos e acabou. Ponto final. Mas não foi um homem quem fez isso, então (as ações) foram completamente diferentes, e nem vou tentar entendê-las...

Sharon Osbourne tem um ego do tamanho da porra da Califórnia! Eu a encontrei diversas vezes no passar dos anos e nunca tive nenhum problema com ela antes, mas o que ela fez foi amador. Se ela tinha um problema com alguém, deveria ter falado com o Rod ou direto com o Bruce. Por quê ela esperou até o final da turnê e agiu daquele modo? Se não gostava de algo, deveria ter parado bem antes. E vou te contar, não foi só isso. Fizemos um grande show em Boston, na 1ª noite do festival, e ela não disse nada. Mas no 2º, entramos no palco e não havia som. Nada vinha do PA durante a 1ª música. Acho isso extremamente anti-profissional... Não sei o que a levou a agir assim. É uma m*rda... não repetiríamos isso. Somos a banda principal nos EUA desde 1983 e fizemos o Ozzfest para tentar alcançar uma nova geração de fãs. É difícil ganhá-los de outro modo, e acho que funcionou. Mas veja o que rolou no fim...

Lemmy Kilmister líder do Motorhead em entrevista para a Roadie Crew, também comentou: "Digo-lhe uma coisa: nunca mexa com Sharon Osbourne. Não é conveniente provocá-la, pois não se trata de uma mulher normal. Ela é como um homem; capaz de tudo para destruir seus desafetos. Sharon equivale a três Iron Maiden’s. Ela é muito mais difícil que Bruce, acredite em mim."

Anos depois do episódio em San Bernardino, e a relação do Iron Maiden com a família Osbourne vez ou outra ainda produz pequenos atritos e troca de provocações em entrevistas e declarações em shows. Será que algum dia ainda veremos Black Sabbath e Iron Maiden juntos outra vez?

Fonte: Whiplash.Net
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »