Blaze: "Pra sair do Maiden é preciso deixar o cabelo"

A Radio Metal recentemente conduziu uma entrevista com o vocalista britânico Blaze Bayley (Iron Maiden, Wolfsbane). Alguns trechos da conversa você confere abaixo na tradução de Leonardo Daniel Tavares da Silva (Whiplash.Net):

Radio Metal: seu novo álbum solo "The King Of Metal" é o primeiro desde que você rompeu com Jay Walsh, David e Nico Bermudez. Como isso mudou o processo de composição? Como este registro foi escrito?

Blaze Bayley: Eu encontrei outro guitarrista. Eu escrevo a maioria das canções e então nós discutimos sobre isso. É o mesmo com Claudio Tiricanti, meu baterista para este lançamento. Então, a respeito do processo de escrita, o que nós fizemos é uma abordagem totalmente diferente. Eu queria fazer algo simples e muito direto, particularmente em relação às letras, eu queria ser capaz de falar com meus fãs cujo primeiro idioma não é o inglês, então tinha que ter uma mensagem muito clara e direta. Quando eu comecei a escrever, eu queria ser capaz de estar no palco, na tour, e dizer palavras específicas, de uma forma específica, para meus fãs. Então, é isso que eu tenho feito.

Radio Metal: Este novo álbum é chamado "The King Of Metal" e é, como você diz, dedicado aos fãs de heavy metal. Você declarou que os fãs de metal são os verdadeiros reis de metal. Você acha que, de todos os diferentes tipos de fãs, os de metal são os mais dedicados no mundo?

Blaze Bayley: Sim, eu acho que se você olhar para os diferentes tipos de música, os fãs de pop são mais orientados à moda, então eles vão gostar de um disco da Madonna, mas não de todos os discos da Madonna. Todo artista tem um certo número de fãs verdadeiros, mas os fãs de heavy metal são especiais. Se eles gostam de um artista e gostaram de um CD, então, para o próximo CD eles não vão esperar pelas resenhas, apenas encontrá-lo quando ele for lançado e adquiri-lo, por que se eles são fãs do artista, eles vão amar tudo. Em tudo que eu já gravei, eu senti que a lealdade tem significado muito para mim. Eu tenho alguns fãs...
Sabe, eu sou um vocalista muito pequeno do underground. Um monte de fãs do Iron Maiden  ouviram falar de mim, mas não muitos sabem que eu faço minha própria música. Muito poucos. Então eu sou apenas um pequeno artista underground fazendo as coisas ao meu modo e tenho o suporte de uns poucos fãs ao redor do mundo que me mantém na ativa. E eu sou muito orgulhoso de ter esse apoio, de verdade.
Radio Metal: existe uma faixa no novo disco chamada "Dimebag" que é dedicada ao guitarrista do Pantera Dimebag Darrell. Por que você escolheu dedicar uma canção a Dimebag oito anos após sua morte? Por que agora?

Blaze Bayley: Há algumas razões, e a primeira é puramente artística. Eu tive a ideia básica algumas semanas depois que ele morreu e eu estava trabalhando com outros músicos na época, e simplesmente não rolou. Tentamos algumas vezes, mas nunca tivemos a chance de terminar a música, então eu só mantive a ideia porque eu achava que era bom. Eu realmente acreditava nesta ideia, e eu tentei com todos os músicos com quem já trabalhei e nunca deu certo. Portanto, para este álbum, eu pensei "OK, vamos dar uma chance a essa ideia, vou começar com isso". Foi uma das primeiras coisas que começamos a trabalhar quando eu comecei a escrever com Thomas (Zwijsen) e ele se encaixou muito bem. E então, quando chegamos à pré-produção, e tínhamos todo o baixo e todas as baterias é que realmente o negócio começou a tomar forma, e foi isso. Eu tinha o núcleo da canção e eu estou muito satisfeito com a maneira como ela saiu. Assim, devido a certas razões é acidental, mas é algo que eu realmente gosto: ninguém pode dizer que eu estou no negócio tentando fazer algo que tem sido feito, porque já faz muito tempo da morte dele. Você não pode dizer que eu coloquei esta música no meu álbum para que que os fãs do Pantera o comprem. É algo que os fãs de  Pantera não vai pensar. Se você ver, na imprensa em geral isso não é muito mencionado. Assim, dessa forma, as pessoas vão ver é um tributo real para o homem, e também uma advertência sobre as coisas terríveis que podem acontecer. De toda a morte em música, é o que eu mais respeito pela forma como ele viveu. Ele nunca teve uma escolha sobre como ele morreria. Acho que tem pessoas que são glorificados quando bebem até a morte ou morrem por uma overdose de drogas, e para mim isso não é bom. Dimebag não se matou, ele não fez absolutamente nada para trazer a sua própria morte. Sua vida lhe foi tirada. Eu acho que é por isso que é quem mais vale a pena lembrar. E por causa do grande trabalho que ele poderia ter feito.

Radio Metal: Ano passado você rompeu com David Bermudez, Nico Bermudez e Jay Walsh e fez uma declaração sobre isso. Alguns dias depois, eles fizeram uma declaração dizendo que a sua não era verdadeira e que eles tinham sido demitidos por razões financeiras. Como você reagiu à declaração deles? Onde está a verdade?

Blaze Bayley: Não há verdade. Existem apenas pontos de vista pessoais e subjetivos da sua situação e sua realidade. Não há verdade. O que há é como você se sente em relação à situação e como sente que foi tratado. Eu apenas queria me matar naquela turnê. A pressão para manter a banda era demais. Às vezes eu realmente queria que eu tivesse me matado para fugir, mas minha esposa me dissuadiu, e ela me convenceu a continuar, e é por isso que eu ainda estou aqui. Assim, eles podem dizer o que quiserem, mas a minha verdade é: estar com as pessoas nessa turnê nessa situação me fez querer me matar, acabar com a minha vida, terminar tudo, deixar minha esposa e meu filho só para ficar longe de tudo. Essa é a minha verdade.

Radio Metal: Algumas semanas atrás, você cantou na Rússia com Paul Di'Anno, que também foi um membro do Iron Maiden como você. O que você pode nos contar dessa experiência?

Blaze Bayley: Foi fantástico, muito legal, da hora mesmo. O tempo estava horrível em Moscou. Estava nevando e fazia muito frio, mas Paul é realmente um cara muito bacana e a banda russa que tocou com a gente foi absolutamente excelente e fez um trabalho maravilhoso. Eles fizeram com que minhas músicas soassem realmente muito boas e foram caras muito bons pra trabalhar.

Por causa dos dois nomes, as pessoas que não me conheciam e vieram ver eu e o Paul, fiz um monte de novos fãs. E isso é algo que eu realmente gostei, algo que eu tinha pensado de fazer antes, mas que parecia ser o momento certo para fazê-lo, o estado de espírito certo. Eu não tenho uma banda agora, eu sou um artista solo e eu posso escolher músicos diferentes. Este era o momento certo para fazer isso, e foi ótimo. Eu gostei muito, foi muito divertido. E eu fui pago, o que é realmente muito bom. Então eu acho que nós vamos fazer mais algumas dessas. Temos Austrália chegando em novembro, e eu acho que nós vamos fazer mais algumas datas em conjunto na Europa Oriental, no final de outubro / início de novembro. Eu estou realmente ansioso para isso, é algo que funciona bem. Eu faço um pouco de minhas próprias músicas, então algumas das músicas que eu sou conhecido no Iron Maiden e os fãs parece que realmente gostam do set-list que fazemos, por isso estou aberto para fazer um pouco mais. É muito divertido. Uma coisa que eu penso sobre a música é que você deve fazer primeiro por que você gosta, não porque você espera chegar a algum lugar. Se você chegar em qualquer lugar, então isso é ótimo porque você está fazendo algo que você gosta. Isso foi realmente bom e que realmente me deu um impulso e me deu muita confiança para voltar lá. Isso é muito bom.

Radio Metal: Legal. Vocês já consideraram fazer um álbum juntos?

Blaze Bayley: Não. Por que eu não vejo que valor isso teria musicalmente. Se Paul e eu tivéssemos alguma ideia incrível de algum tipo novo de metal inglês, ou um novo tipo de heavy metal que exigisse duas vozes para cantar, então, talvez, mas, neste momento, não. Agora eu estou extremamente ocupado fazendo minha própria música. E Paul está ocupado também — ele tem um clube no Brasil e duas lojas e ele trabalha o tempo todo em diferentes países no mundo inteiro. Então, não, nós não pensamos sobre isso. Eu não diria que isso nunca iria acontecer, mas eu não vejo quem estaria interessado nesse álbum.

Radio Metal: A propósito, quando vimos fotos desse show, havia uma piada sobre ambos terem ficado carecas. Isso significa que tocar com o Iron Maiden faz com que a pessoa perca os cabelos?

Blaze Bayley: Sim! Se você sair do Iron Maiden, você deixa o seu cabelo pra eles.

Fonte: Radio Metal
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »