Nicko McBrain: "Música é como sexo"

Terminando a perna latino-americana de sua atual turnê mundial, o Maiden agora está de volta aos Estados Unidos onde se apresenta neste sábado no BankAtlantic Center, em Sunrise na Flórida.

Os fãs sempre esperam suas favoritas como "The Number of the Beast" entre outras, no entanto, haverá toneladas de riffs novos do Maiden com as músicas do álbum The Final Frontier! Antes do show no sul da Flórida, o "Miami New Times" chamou Nicko McBrain para uma breve conversa, ele que não só é o baterista do Iron Maiden, mas também o proprietário do restaurante Rock n' Roll Ribbs, localizado em Coral Springs.

New Times: OK, diga-nos algo interessante sobre o novo álbum.
Nicko McBrain: A música é um elixir da vida. Isso é muito interessante! É como uma droga. É como sexo. Você sabe, eu sou casado com a minha banda - Minha mulher não vai gostar disso. Mas também é verdade. Exceto nessa relação, a música é o sexo. Nós não precisaríamos fazer um disco novo e ainda poderíamos ficar em turnê por um tempo. Mas nós gostamos de ser desafiados a fazer um outro disco. É o desafio: encontrar um novo território.

New Times: Agora nos diga algo interessante ou emocionante sobre a tour, a vida na estrada.
Nicko McBrain: Estamos bem comportados. Nós saímos do palco, voltamos para o hotel e tomamos um banho - às vezes não fazemos isso. Nos reunimos para uma bebida, talvez umas cervejas e garrafas de vinho para falar sobre quem cometeu o pior erro da noite. Não há drogas ou qualquer coisa assim. A música é a droga. Isso é lindo.

New Times: Alguma história particular por trás das músicas de The Final Frontier ? Qual é sua canção favorita no álbum e por quê?
Nicko McBrain: Todas tem significados especiais. Mas, "Coming Home" é uma ótima balada. Bruce que trouxe. Trata-se de uma reflexão sobre a vida na estrada, fazendo amigos, dizendo adeus, voando em um avião e fazendo o seu caminho de volta pra casa. Eu, provavelmente, diria que "When the Wild Wind Blows" está em nosso top cinco de canções épicas. Olha, basta ir lá e comprar [ Final Frontier ]. Eu não vou dizer nada mais, exceto que é vagamente baseado em um filme. E isso é fantástico. Eu não sou muito de me apegar às partes individuais, mas ela se torna maior a cada noite.

New Times: Como foi a turnê até agora? Qual é a recepção do novo álbum nos shows?
Nicko McBrain: A recepção é fenomenal. O dico foi número um em 28 países - pelo menos eu acho que é 28 - em todo o mundo. A música não tem fronteiras. Apesar do clima político, as pessoas estão recebendo de maneira fantástica. No show, fazemos cinco faixas do novo álbum e elas são muito bem recebidas.

New Times: Quando eu era criança, minha mãe não quis me comprar uma camisa do Iron Maiden, porque ela achava que Eddie era "indelicado". Há algo nas onipresentes camisetas do Iron Maiden que nenhuma outra banda tem.
Nicko McBrain: Sim, muito. Eddie é maior do que a banda. Ed the 'Ead - nós não pronunciamos o 'H'. A fonte do nosso logotipo é muito distinta, temos uma grande obra de arte - muitas pessoas adoram as imagens. Esse é o mercado: vender música e arte.

New Times: Algumas palavras amáveis ​​para os seus fãs do sul da Flórida?
Nicko McBrain: Nossos fãs são absolutamente encantadores na Flórida. Em 2010, nós terminamos nossa tour no BankAtlantic. Voltamos. Nós não tocávamos na Flórida a mais de 20 anos, e eles nos fizeram sentir tão bem-vindos. Nós estaremos olhando para a frente, para mais dez anos. A Flórida tornou-se grande - os fãs antigos, novos fãs e os fãs que não são fãs.

Fonte: Miami New Times
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »