Janick: "O metal é a música clássica de hoje"


Com sua turnê anterior, “Somewhere Back in Time”, o Iron Maiden visitou mais de 23 países num total de 91 shows entre 2008 e 2009. Com sua atual turnê mundial, "The Final Frontier World Tour", a banda tem a possibilidade de superar esta marca ou ao menos igualar os números. Nesta semana é a vez de Porto Rico, receber a banda, que se apresenta no Coliseo José Miguel Agrelot.

Com 36 anos de trajetória e a habilidade de cativar cada vez mais as novas gerações, o Iron Maiden também está desfrutando o fato de seu disco mais recente, The Final Frontier, ser a produção mais bem sucedida de sua carreira em termos de listas de popularidade.

"O Disco foi muito bem nas listas em todas as partes do mundo. Isso não significa que é o mais vendido, mas é definitivamente o que alcançou as posições mais altas", disse em entrevista o guitarrista Janick Gers ao jornal El Nuevo.

"Estamos muito orgulhosos dele. Tentamos sempre fazer coisas diferentes quando entramos no estúdio e criar novas idéias. É muito importante que a banda continue a crescer e não apenas acomodada com o passado. Deve ter um compromisso e não seguir modismos. Nós tentamos ser honestos com nossa música ", acrescentou.

Essa honestidade tem suas raízes nos interesses individuais dos membros da banda. O que eles vêem, lêem ou o que os atrai é utilizado como matéria-prima para escrever suas canções, obtendo-se assim todo um universo de possibilidades.

Na hora de fazer música, Gers indica que além de experimentar novos sons, eles se concentram na atmosfera que transmitirão. "Nós sempre tentamos coisas novas e trazer novas idéias, tanto no peso quanto na melodia. É importante fazer coisas diferentes, mas no final do dia usamos muitos formatos a nosso favor. Nós sempre tentamos levá-los quando tocamos ao vivo e quando fazemos isso, tentamos destacar cada uma delas. Eu acho que é importante, nem todas as bandas fazem, e parece estranho. Nós somos uma banda muito boa ao vivo e tentamos captar isso no estúdio, é muito especial", disse o músico, que considera que a banda continua a ser bem sucedida graças ao seu desempenho ao vivo.

Além de todas as suas realizações, como estádios lotados por onde passam e seu primeiro Grammy com o álbum mais recente, para Gers o que mais impressiona é como o exército de fãs do Iron Maiden está cada vez mais cheio de jovens e crianças.

"Realmente me surpreende que tenhamos um grande público de jovens e crianças. E isso não acontece apenas no Reino Unido e na Europa, a última vez que tocamos na América também havia muitos jovens. Eu acho que é porque a música é uma forma de arte poderosa e acreditamos que os jovens a estão adotando cada vez mais. Eu acho que o metal ou rock, ou como você quiser chamá-lo, é a música clássica de hoje", disse o guitarrista.

Fonte: El Nuevo
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »