Iron Maiden: 11 mil pessoas em Curitiba!

Jornal do Brasil - Uma celebração ao heavy metal. Este foi o comentário dos fãs após o show da banda inglesa Iron Maiden, na apresentação desta terça-feira, no Expotrade Pinhais, região metropolitana de Curitiba.

Depois de um aquecimento com a banda local Motorocker, os devotos da "Donzela de Ferro" enlouqueceram quando Bruce Dickinson (vocalista), Steve Harris (baixista), Dave Murray (guitarrista), Adrian Smith (guitarrista), Janick Gers (guitarrista) e Nicko McBrain (baterista) subiram ao palco, executando "Satellite 15...The Final Frontier", de seu mais recente álbum, The Final Frontier. A cada momento em que Dickinson falava ao microfone "Scream For Me Curitiba" (uma marca registrada do vocalista), o público respondia a plenos pulmões.

Sem deixar o público ficar morno, a banda entoa os acordes de "El Dorado", também de seu último cd. Com o refrão cantado em uníssono pelos presentes, a banda tinha pleno domínio do público, que foi ao delírio com a parede de guitarras, o baixo cavalgante, a bateria precisa e as inconfundíveis linhas vocais.

Porém, foi a partir da terceira música que o Expotrade veio abaixo pela primeira vez. Os riffs iniciais da clássica "2 Minutes To Midnight" (do álbum Powerslave, de 1984) fizeram os fãs agitar sem parar. Após o mega hit, a banda volta a apresentar mais duas músicas do seu último trabalho, "The Talisman" e "Coming Home", que foram muito bem recebidas pelos fãs, que também gostaram da execução de "Dance of Death" (do álbum homônimo, de 2003).

Ainda que os fãs tenham exaltado as músicas mais recentes da banda, ao vivo pela primeira vez, foram os clássicos que mais mexeram com a multidão. Ao anunciar "The Trooper", com direito a um Bruce Dickinson com um casaco de soldado e empunhando uma bandeira da Inglaterra, o Expotrade literalmente tremeu aos pés das lendas do heavy metal.

E o melhor ficou para o bis, quando os auto-falantes apresentaram o diálogo inicial da música mais conhecida da banda: "The Number of The Beast" (do disco homônimo de 1982). Festa dos fãs, que agitavam sem parar durante a execução.





"O que vimos hoje foi uma aula de como o heavy metal deve ser: forte, coeso e sem frescura". disse Flávio Augusto Laginski, 31 anos, fã da banda desde os 14. Para ele, é difícil apontar outro grupo que esteja no mesmo nível do Iron Maiden. "O Maiden consegue ser genial em sua simplicidade. Suas músicas podem não primar pelo virtuosismo, mas sua honestidade e qualidade são inegáveis. Em minha opinião, eles são a maior banda de metal de todos os tempos. Isso sem falar que mesmo com os integrantes já tendo passado dos 50 anos, eles continuam com a mesma energia de quando eram mais novos", afirma.

O estudante Marcos Pacheco de Carvalho era só sorriso. O motivo da alegria é que esta fora a primeira vez que o jovem assistia sua banda favorita ao vivo. "Nossa, este foi o show da minha vida! Valeu cada centavo que eu economizei para ver a banda do meu coração. Não encontro palavras para descrever a minha alegria em ver meus heróis tocando na minha cidade", comenta.

O autônomo João Ramos dos Santos disse que nada neste mundo o faria perder este show. "O Iron Maiden é a minha religião. Mesmo se estivesse de cama, daria um jeito e viria assisti-los. Estou no heavy metal por causa destes caras. Eles me fizeram amar este estilo musical. Eu os vi outras vezes e cada vez eles se superam, ainda que tenham faltado clássicos como Wasted Years, Aces High, entre outros", avalia.

Texto: Jornal do Brasil
Foto e Vídeos: Mundo Livre FM
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »