Flight 666: Bruno "The Crying Man"



Se você assistiu o documentário "Iron Maiden - Flight 666", com certeza sabe quem é Bruno Ismael Zalandauskas. Ok, não sabe? E o cara que aparece chorando após conseguir uma baqueta do baterista Nicko McBrain? Ah! É aquele cara da Colômbia? Não, Bruno é brasileiro, mora em Curitiba e contou ao pessoal da revista do Iron Maiden FC como foi parar no documentário de sua banda favorita e o que aconteceu depois disso... confira essa fantástica história!

Por Bruno IZ - The Crying Man
Publicado originalmente na Iron Maiden FC Magazine

Dia 03 de Março de 2008, eu havia acabado de chegar em Curitiba, vindo do show do Iron Maiden em São Paulo. Não hesitei em ir direto para a fila para o show que aconteceria na Pedreira Paulo Leminski no dia 04 de Março. Eu ainda estava em êxtase pelo show da noite anterior, mas tinha uma sensação de que esse guardaria algo especial para mim. Já tinha ido a dois shows, ficado na grade, mas nunca consegui levar uma lembrança do Iron Maiden para casa, mas como três é meu numero da sorte, eu estava confiante que o terceiro show ia ser a minha vez. Ao chegar na fila, já havia gente acampando há mais de três dias!!! Fiquei com meus amigos por cerca de 30 horas até a abertura dos portões, e lá fui eu, com aquela alegria que só um show pode dar, todos entrando, gritando Iron Maiden, correndo, e aquilo tudo que todos conhecem. Lá dentro, mais algumas horas até a banda da Lauren Harris abrir o show, morrendo de ansiedade. Quando o Iron Maiden finalmente entrou no palco, já me emocionei. O show foi fantástico, com o Bruce subindo nas armações de metal do palco, a fumaça escorrendo por entre as pedras abaixo do palco, um clima extremamente surreal. Depois de chorar o show inteiro (como devem ter percebido eu choro bastante mesmo, hehehe), após Hallowed Be Thy Name, quando a banda se despedia do público, eu comecei a gritar feito louco pelo nome do Nicko, e ele milagrosamente olhou para mim (com tanta gente gritando pelo nome de todos da banda, não acredito até hoje como ele olhou para mim). E, alguns dias antes eu havia lido no Diário do Nicko que ele havia tido aquele incidente com a bola de golf. Fiz sinal perguntando se o pulso dele estava melhor, e ele sinalisou positivamente e agradeceu. Após isso ele apontou pra mim, e jogou a baqueta bem na minha mão, não tive que pular, nem brigar com ninguém por ela. Ela simplesmente voou, e aterrisou na palma da minha mão!!! Nesse ponto eu estava tão emocionado que novamente desabei em prantos. O público começou a se afastar, ao som de Always Look On The Bright Side of Life, e eu fiquei chorando, imóvel, não conseguia ordenar meus pés pra sair dalí. Depois de algum tempo me dei conta, havia uma câmera filmando bem a minha cara, em zoom. Imaginei que seria algo pra Iron Maiden TV, mas não vi nada lá. Ainda assim estava super satisfeito com tudo. Finalmente tinha minha baqueta usada pelo Nicko. Era mais um sonho realizado!!!

Um ano depois, o Iron Maiden volta ao Brasil, para mais uma sequência de shows. E eu, mais uma vez resolvi ir atrás deles. Estava decidido a encontrar com o Nicko para agradecer a baqueta, sabendo que ele nunca saberia quem era eu, e o quão especial foi aquele show. Fiz reservas no hotel de São Paulo, para chegar mais próximo e tentar a oportunidade. Mas antes fui ao show no Rio de Janeiro, dia 14 de Março de 2009. Justamente no dia do Pré-Lançamento mundial do Flight 666. E como não podia faltar, comprei meu ingresso para o filme, sem saber o que me aguardava. Começou o filme, e todos estavam super animados, aquela qualidade de imagem, aquele som, parecia que estávamos num show de verdade. Tenho certeza que todos lá estavam relembrando momentos do show, e curtindo bastante. De repente, vejo uma cena de um cara chorando demais com uma baqueta em mãos. Meus amigos do meu lado começaram a gritar "Bruno!!! É você lá!!! É você!!!". Eu não conseguia acreditar!!! E o tempo foi passando e a cena continuava!!! Só conseguia pensar: "Meu Deus!!! Sou eu no dvd do Iron Maiden!!!". E por mais de meio minuto, a cena continuava. Nesse momento eu já estava chorando novamente, na tela do cinema, e na cadeira (hehehe). Nos créditos do filme, ainda apareceu novamente, dessa vez gritando. Não dava para acreditar nos meus olhos, eu era o cara mais sortudo do mundo!!! Quando estava saindo do cinema, varias pessoas estavam me olhando, e comentavam "caramba! é ele mesmo! é o cara da baqueta!"



Depois do filme, fomos direto para o show. Que foi maravilhoso, dessa vez com todo aquele fogo e explosões, que não teve em 2008 no Brasil. Depois do show, seguimos direto para São Paulo. E fui correndo ao Hotel, esperar a chegada da banda. Não tive muita sorte no primeiro dia, pois eles iam chegar do Rio de Janeiro e teriam pouco tempo até o show em São Paulo, já que os dois foram em dias seguidos. Após o show naquela noite, voltei ao hotel, e fui tomar algumas cervejas no bar. E lá estavam alguns dos integrantes. Mas não quis atrapalhar, achei melhor abordar no dia seguinte, quando estivessem descansados. Mas continuei lá, curtindo o momento, perto dos meus ídolos.



Após a banda inteira subir. Vi que o Sam Dunn estava lá, e olhava para mim. Fui conversar com ele. E ele foi muito simpático comigo, me explicou o motivo da minha cena aparecer fora do Brasil. Essa noite mal consegui dormir, de ansiedade e empolgação. E no dia seguinte cedo eu já estava no lobby do hotel, aguardando alguma oportunidade. Naquele momento estava acontecendo uma coletiva de imprensa. Fiquei aguardando pacientemente. Quando saíram, Nicko McBrain olhou para mim e disse: "Hey, você é o cara do Filme!", eu confirmei, e ele foi muito querido comigo, me chamou para sentar no bar com ele e tomar algumas cervejas e conversar mais tranquilamente. Conversamos por algumas horas. Ele sempre bem humorado, contando piadas, e perguntando muitas coisas sobre o brasil, e o que eu tinha achado dos shows que eu fui. E me deu o apelido "The Crying Man", que eu com muito orgulho uso até hoje, hehehe!!! Ele me apresentou ao Steve Harris, que estava lá assistindo futebol pelo notebook, mas mesmo assim foi atencioso comigo. Desci novamente para o Lobby, pois o Dave estava passando, e consegui falar rapidinho com ele, pois me pareceu apressado, hehehe. Adrian ao sair do hotel também olhou e disse "The Crying Man!!!" e foi super simpático apesar do alvoroço dos fãs do lado de fora do hotel.





Voltando ao bar, conheci as três filhas do Harris, mas acho que ele ficou meio bravo quando me viu conversando com elas!!! (hehehe, relaxa Steve, só estava batendo um papo com elas!!!) Conheci bastante gente da equipe do Iron Maiden, e uma das mais marcantes foi o Jeff que não se cansou de responder perguntas minhas sobre a banda e sobre os bastidodes!!!



Mas ainda faltavam Janick e Bruce. Resolvi ir para Belo Horizonte também, curtir mais um show e tentar falar com eles. Lá conheci o Rod, que me tratou como "fã especial", e me apresentou ao Bruce, e deu dica de onde achar o Janick!!!



No fim de quase uma semana indo atrás do Iron Maiden, posso dizer que sou realmente a pessoa mais sortuda do mundo!!! Conheci todos os meus ídolos, consegui conversar bastante, fui em mais três shows da minha banda favorita, conheci também o pessoal da equipe e tudo mais.

Bom, quando eu começo a falar sobre isso, eu me empolgo!!! Espero que não tenha falado demais!!! Hehehe!!!

Gostaria de agradecer algumas pessoas: Laz, do FC por me escolher para essa edição da revista; Nicko McBrain, pela baqueta em curitiba e pelas cervejas em são paulo (hehehe); Sam Dunn, pela oportunidade de ter aparecido no filme e fazer parte da história da banda; Jeff, por toda a simpatia; Rod Smallwood e ao Iron Maiden, por demostrarem tanto carinho, respeito e consideração pelos fãs, pois esse tipo de atitude me faz ser cada dia mais Fã de Iron Maiden e de toda a sua equipe."

Bruno IZ - The Crying Man
http://twitter.com/Bruno_IZ
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »