Paul Di'Anno: Não preciso de dinheiro, amo tocar

Em entrevista à TV Estadão, Paul Di'anno fala sobre sua turnê pelo Brasil, sua relação com o nosso país, a importância do primeiro disco do Iron Maiden, sua paixao pelo Corinthians, Ronaldo, e o futuro de sua carreira... confira alguns trechos e o vídeo da entrevista na íntegra.

TV Estadão: Essa turnê comemora os trinta anos do primeiro disco do Iron Maiden, do qual você participou com a formação clássica. Por que você acha que este disco foi tão importante?

Paul Di'anno: Nós começamos uma revolução... o Iron Maiden fez algo diferente, nossa música era mais rápida, um pouco mais complicada, e com um cantor punk. Ninguém havia feito isso antes. Não fizemos isso de propósito, simplesmente aconteceu daquele jeito. E isso se tornou uma revolução... depois todos viraram New Wave Of British Heavy Metal... Todo mundo era NWOBHM, isso não era bom, eu fiquei um pouco bravo com isso, eles chamavam o que faziam de de NWOBHM porque não conseguiam encontrar outra maneira de descrever.

O que começamos foi muito importante. Mas o álbum é horrível. As músicas são fantásticas, mas a produção é horrível. Mas eu ainda acho que aquele álbum foi o melhor do Iron Maiden. Não estou falando isso porque eu cantava nele... se fosse remixado seria muito melhor. O "Killers" não fiquei muito contente com esse álbum.O primeiro álbum é fantástico, captou a vibração, a energia. Foi demais porque nós não sabiamos o que estávamos fazendo.Simplesmente fizemos e foi divertido. Mas eu não consigo ouvi-lo porque soa tão fraco e horrível.

TV Estadão: Paul você teve um problema no joelho e disse que talvez até encerre sua carreira no ano que vem, fale um pouco sobre isso...

Paul Di'anno: Faz quatro anos, quase cinco, começou quando alguns caras invadiram o palco em um show na Finlândia e eu senti meu joelho quebrando. Eu tenho pinos no joelho, tive que colocar depois de um acidente de moto. Eu devia ter trocado os pinos depois de cinco anos, mas não fiz isso. Isso foi em 1991... a única coisa que está mantendo meu joelho junto são os pinos. Por que o joelho é como um vaso, uma vez quabrado nunca volta a ser como antes. Eu já paguei pela operação mas eu não encontrei tempo para fazer. Então agora eles vão tirar o joelho fora. Eu até vi um DVD da operação... argh!

TV Estadão: E quanto a sua carreira?

Paul Di'Anno: Estou cansado... faço isso porque amo, faço isso porque é divertido. Mas todo dia acordo com essa dor e o motivo pelo qual estou tão gordo são as pílulas que preciso tomar. Agora parei de tomar, então todo dia é doloroso. Antes eu estava acostumado a pular e hoje saio do palco completamente destruído. E minha esposa Marie tem visto isso e dito: "Ai meu Deus, não sei o que fazer com você..."

Acho que preciso de um pouco de férias até para salvar a minha relação também. Mas quem sabe? Posso não parar por mais dez anos! Mas, como eu disse, realmente preciso de uma longa pausa. Faço 300 shows por ano, não acho que exista outro músico que trabalhe tanto quanto eu... E penso 'Por que estou fazendo isso?' Eu não preciso do dinheiro, só continuo porque amo tocar.



Fonte: TV Estadão
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »