Iron Maiden na capa da Rock Brigade!

Por Renato Ávila
Rock Brigade


Tive a oportunidade de ouvir o último trabalho da Donzela nas dependências da EMI aqui em São Paulo. Assim que cheguei, The Final Frontier, décimo quinto álbum do Maiden, foi apresentado como o melhor desde o Seventh Son...

De maneira geral, o álbum está bem prog, como os dois últimos, porém mais alto astral que seus antecessores. Em muitas partes se parece com o Piece Of Mind, em outras, com o Somewere In Time, porém com uma pegada que marca essa nova fase do Iron.

1 - Satellite 15… The Final Frontier
Esta possui uma introdução diferente de tudo que o Iron já fez, com batidas que remetem a sons tribais e guitarras totalmente fora de controle. De repente a melodia muda de maneira drástica e novos acordes são apresentados – essa é uma prática que marca o álbum inteiro.

2 - El Dorado
Já bastante conhecida, pois foi disponibilizada para download pelo site oficial, dividiu opiniões entre os fãs mais tradicionais da banda e os mais novos, que aceitaram bem esta nova fase do Iron. É marcada por viradas e solos de guitarras, o que a torna muito interessante dentro desta nova proposta.

3 - Mother Of Mercy
Conta com uma introdução acústica muito bonita que abre as portas para uma canção soturna e pesada com letras falando de guerras. Grande destaque para o solo de Murray que se encontrava inspirado durante a gravação do mesmo.

4 - Coming Home
Uma baladinha progressiva com uma marcante letra e solos de guitarra muito bem executados com uma proposta diferente e bem atual. Remete-nos a novos estados de espírito, e é uma das mais bonitas do álbum.

5 - The Alchemist
A mais NWOBHM do disco; porém, não espere um hit como os da década de 80. Mesmo nos remetendo àquela época, este som também tem sua carga prog. De fato, é esta nova fase do Iron que veio para ficar. Cabe aos fãs antigos se adaptarem a todas essas mudanças.

6 - Isle Of Avalon
Esta longa música nos apresenta viradas impressionantes em ritmos muito rápidos, solos de guitarra e inúmeras passagens sonoras, que nos levam a uma viagem muito interessante dentro da proposta do álbum. Diferente de todas as outras que a banda fez neste disco.

7 - Starblind
Outra longa música, com viradas intensas e novos experimentalismos na sonoridade latente do disco; uma das mais pesadas com solos e riffs muito marcantes do inicio ao fim.

8 - The Talisman
A introdução declamada logo cede lugar a uma muralha sonora muito envolvente, que convida o ouvinte a respirar novos ares. Podia facilmente estar em um setlist do Maiden, muito convidativa.

9 - The Man Who Would Be King
Comparada com as outras, é a mais fraquinha do álbum, porém possui uma marcante introdução e muitos riffs e viradas. Uma música mais pop, mas com o peso do Maiden que conhecemos.

10 - When The Wild Wind Blows
A mais longa do disco e a que está gerando mais curiosidades entre os fãs que ainda não o ouviram, esta música lembra muito a Fear Is The Key do Fear Of The Dark. Belíssima, um convite à nostalgia! Como todos sabem, esta música tem onze minutos, e dentro deles, muitas passagens e mudanças.

Fonte: Rock Brigade
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »